Pesquisa mostra que, para paulistanos, São Paulo é uma cidade abaixo da média

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2017 08h00
São Paulo- SP, Brasil- 03/11/2014- Nuvens carregadas sob o céu da cidade de São Paulo, na tarde desta segunda-feira (03/11). Na foto, o céu carregado de nuvens, visto do alto de um prédio na região da avenida Paulista. Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos PúblicasCidade de São Paulo

Para o paulistano, São Paulo é uma cidade abaixo da média. A conclusão é de pesquisa da Rede Nossa São Paulo, divulgada nesta terça-feira (24), véspera do aniversário da Capital.

O Ibope ouviu 1.001 moradores entre os dias 08 de dezembro e 04 de janeiro.

Os entrevistados avaliaram 71 itens de responsabilidade da administração municipal dando notas de zero a dez.

Considerando todos os quesitos de avaliação, a média ficou em 3,7.

Os quatro itens com menor nível de satisfação foram: forma de escolha dos prefeitos regionais; transparência dos gastos e investimentos públicos; tempo médio entre a marcação e realização de procedimentos médicos mais complexos e punição à corrupção.

O coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Oded Grajew, afirma que os números mostram que a capital é um lugar onde se ganha dinheiro, mas se perde qualidade de vida.

A pesquisa destaca números importantes na área do transporte.

O levantamento aponta que 54% dos entrevistados são favoráveis ao aumento da velocidade máxima nas marginais da cidade.

62% do público ouvido é contrário à proposta de aumentar o preço da gasolina para reduzir o valor da tarifa de ônibus.

Além disso, de carro ou de ônibus, a média de tempo que o paulistano leva para ir e voltar entre a casa e o trabalho está em torno de uma hora e quarenta e cinco minutos

O coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Oded Grajew, diz que isso demonstra o quanto o transporte representa dentro da qualidade de vida da cidade.

A prefeitura promete levar em conta os pontos destacados pela Rede Nossa São Paulo na construção do plano de metas do mandato de João Dória Júnior.

A lista de objetivos para os quatro anos da administração deve ser entregue até o fim de março por exigência da lei.

No período de Fernando Haddad foram elencadas cento e vinte e três metas, das quais cinquenta e quatro por cento foram cumpridas de acordo com critérios do próprio município.

O secretário municipal de gestão, Paulo Uebel, afirma que deve apresentar menos de 100 objetivos para esse mandato, focando em diferentes tipos de metas.

Nenhum dos itens avaliados na pesquisa recebeu uma avaliação acima de 5,5.

Os cinco itens com melhor nível de satisfação foram: Campanhas de vacinação; Coleta seletiva nos bairros; Proximidade de postos de saúde; Proximidade de cinemas e Oferta e qualidade da coleta de esgoto.

Confira a reportagem completa de Tiago Muniz: