Pesquisa pós-debate mostra Macron como o melhor na disputa presidencial francesa

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 05/04/2017 05h54
FR9 PARÍS (FRANCIA), 01/03/2017.- El candidato socioliberal a la Presidencia francesa, Emmanuel Macron (c), cata un vino durante su visita a la Feria Internacional de la Agricultura en París, Francia, hoy, 1 de marzo de 2017. Macron opinó hoy que el aspirante conservador, François Fillon, ha perdido "el sentido de la realidad" por tildar su imputación de "asesinato político". La primera vuelta de las elecciones presidenciales se celebrará el próximo 23 de abril. EFE/Christophe Petit TessonEmmanuel Macron - EFE

A corrida presidencial francesa teve nesta terça-feira (04) seu segundo debate. E dessa vez todos os 11 candidatos tiveram a oportunidade de participar. Cada um com exatos 18 minutos para expressar suas opiniões e propostas.

Some-se a isso o tempo de abertura e encerramento, você que é bom de matemática já chegou à conclusão de que o programa durou intermináveis quatro horas.

Então não é exagero dizer que toda as sortes de opiniões foram expressadas, desde comunismo, nacionalismo, protecionismo, conservadorismo… não faltaram “ismos”.

O favorito da disputa, o independente Emmanuel Macron, foi bastante cauteloso para não criar problemas faltando apenas algumas semanas para o primeiro turno, que será disputado em 23 de abril.

Mas o candidato preferido do establishment neste momento não deixou de fazer ataques relevantes à nacionalista Marine Le Pen e apontou que a ideia da líder da Frente Nacional de trazer o franco de volta e sair do euro vai afetar o poder de compra dos mais pobres.

Segundo Macron, o nacionalismo que Le Pen defende já deixou cicatrizes profundas na Europa e lotou os cemitérios franceses, fazendo referência às duas guerras mundiais.

A resposta da líder da Frente Nacional foi seca: seu adversário repete bravatas contadas há 40 anos.

As pesquisas pós-debate apontam que Macron foi o melhor da disputa, seguido por Jean-Luc Melenchon, da extrema-esquerda e do combalido François Fillon, da direita, que mais uma vez teve que responder às acusações de corrupção ao tornar mulher e filhos funcionários fantasmas de seu gabinete.

Então faltando menos de 20 dias para o primeiro turno, a disputa parece estar centrada entre Emmanuel Macron e Marine Le Pen. Mas existe um fator importante. Algumas pesquisas chegam a apontar até 40% de indecisos, algo sem precedentes. Então, seria extremamente arriscado fazer qualquer previsão para o segundo turno francês neste momento.

A única certeza é que não importa quem, o vencedor certamente será considerado uma surpresa nesta eleição, que como disse Marine Le Pen, coloca a civilização francesa em jogo.