PM do RJ prende foragido apontado como mandante de 17 mortes no RN

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2017 10h35
BRA01. NATAL (BRASIL), 18/01/2016.- Fotografía de un patio en la prisión de Alcacuz, donde los presos siguen sobre los tejados, hoy, miércoles 18 de enero de 2017, en Natal, estado de Río Grande do Norte (Brasil). En esta cárcel murieron 26 personas el pasado fin de semana durante un enfrentamiento entre facciones rivales. EFE/Ney Douglas Ney Douglas/EFE Penitenciária Estadual de Alcaçuz - EFE

A Polícia do Rio de Janeiro informou nesta segunda-feira (01) que prendeu Wildson Alves da Silveira, que estava foragido do presídio de Alcaçuz, cadeia pública de Natal que teve um massacre em janeiro deste ano. Ele estava foragido desde março.

O foragido estava escondido há alguns meses na comunidade do Jacarezinho, no Rio.

Wildson foi capturado durante um patrulhamento do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas na Linha Vermelha, altura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele foi localizado por uma patrulha da PM. O trajeto que ele fazia era realizado por um veículo do aplicativo Uber, segundo a PM.

Segundo a polícia, o criminoso é apontado como um dos chefes de uma facção criminosa do Nordeste e estava em terras fluminenses desde sua fuga.

No entanto, ele não participou das mortes na rebelião em janeiro, já que sequer estava preso neste período. Segundo o delegado Ben-Hur Medeiros, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Wildson foi preso em fevereiro acusado de ser mandante de 17 assassinatos e fugiu em seguida.

Conhecido como Binho, Wildson é tido como chefe do tráfico de drogas na Paço da Pátria, na região Leste de Natal.

A análise da Polícia fluminense é que o criminoso estava se estabelecendo no RIO, na comunidade do Jacaré, onde teria recebido uma espécie de “guarita” do tráfico do local.

Wildson Alves de Oliveira foi levado ao 59º DP, de Duque de Caxias, onde o caso foi registrado. Ele deve ser encaminhado ao Complexo Penitenciário de Bangu nesta terça. Binho responde por homicídio, tráfico e associação criminosa.

Tiroteio

Desde a noite desta segunda-feira (1º) o Rio de Janeiro convive com um intenso tiroteio na comunidade Cidade Alta, na periferia do Estado. Uma invasão de traficantes rivais estava tentando dominar a comunidade.

Ousadia dos bandidos

O Rio de Janeiro se deparou com uma transmissão ao vivo de bailes funks, os conhecidos “proibidões”. Eles aconteceram neste feriado na comunidade Nova Holanda, no complexo de Favelas da Maré. Bandidos fortemente armados e muitas drogas. Tudo foi transmitido em tempo real.

Confira as informações sobre a violência no Rio com o repórter Rodrigo Viga: