Polícia agiu com rapidez em caso de vandalismo na Fiesp, avalia secretário

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2016 07h32
SP - PROTESTO-PEC-55 - GERAL - Manifestantes depredam o prédio da Fiesp durante protesto contra a Proposta de Emenda Constitucional, a PEC 55, e contra o governo Temer na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista em São Paulo (SP), nesta terça-feira, 13. 13/12/2016 - Foto: GUILHERME STUTZ/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOPolícia agiu com rapidez em caso de vandalismo na Fiesp

Secretário de Segurança Pública garante que a Polícia Militar agiu com rapidez para coibir ataque ao prédio da Fiesp, durante manifestação na Avenida Paulista, nesta terça-feira (13).

Mágino Alves Barbosa filho também disse que as autoridades já trabalham na investigação e procura das pessoas responsáveis pelo ato de vandalismo.

Declaração foi dada por Mágino Alves Barbosa Filho a jornalistas em coletiva de imprensa na sede da secretaria, nesta quarta-feira (14). “A polícia agiu, tanto que duas pessoas foram detidas em flagrante. E também foram instaurados inquéritos para apurar os danos envolvendo outras pessoas”, disse.

O secretário acrescentou que a manifestação foi feita de improviso, sem qualquer comunicação com as autoridades: “mesmo para manifestação de imprevisto foi importante notar que a polícia agiu rapidamente”.

Gustavo Neves Forte, professor do Instituto de Direito Público de São Paulo, o IDP, explicou que o direito a manifestação é constitucional, mas há limite para não cair no crime. “Nenhum motivo justifica uma manifestação agressiva ou violenta. Esses atos violentos podem ser penalizados como crimes”, ressaltou.

A Fiesp ainda não contabilizou os danos e toda a manhã desta quarta-feira foi voltada para limpeza e manutenção do prédio. Peritos também na sede da Fiesp nesta quarta-feira avaliaram os estragos.

*Informações do repórter Fernando Martins