Polícia aguarda laudo de peritos para definir causa da morte de auditor do TCU

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2017 06h24
Auditor do TCU morre afogado após mergulho no Lago Paranoá (DF)

Representantes da União dos Auditores Federais do Controle Externo aguardam resultado da perícia no corpo do auditor Geraldo Torres Filho. Ele foi o responsável pelo relatório que indicou as pedaladas fiscais da ex-presidente Dilma Rousseff.

Ele morreu afogado na manhã deste sábado (21) após praticar um mergulho no lago Paranoá. Socorristas do Corpo de Bombeiros tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso.

O delegado Rodrigo Carbone aguarda o resultado da perícia para indicar o motivo da morte. Não havia sinais externos de agressão, mas a perícia irá indicar se a morte foi mesmo por causas naturais, afogamento ou outro fator.

Torres Filho usava quatro cilindros de oxigênio, que foram apreendidos para avaliação pericial.

A União dos Auditores publicou nota em que se declarou perplexa. Esta foi a segunda morte envolvendo pessoas ligadas à investigação em Brasília.

*Informações do repórter José Maria Trindade