Polícia começa perícia em templo que desabou no ABC

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2016 08h04
São Paulo - Bombeiros procuram mulher soterrada nos escombros de igreja da Assembleia de Deus que desabou na tarde de ontem (dia 15) em Diadema, no ABC Paulista (Rovena Rosa/Agência Brasil)Bombeiros encontram corpo de mulher soterrada em desabamento de Igreja da Assembleia de Deus em Diadema

 A polícia civil começa nesta sexta-feira (17) a perícia nos escombros da igreja da Assembleia de Deus que desabou em Diadema, onde uma mulher morreu. O corpo de Vanda Maria Martins foi localizado nos destroços por volta do meio-dia de quinta-feira, quando os bombeiros constataram o óbito. O incidente aconteceu pouco depois das 15h de quarta-feira, quando um culto reunia aproximadamente 20 pessoas no prédio de dois pavimentos.

O comandante metropolitano dos Bombeiros, coronel Wagner Bertolini, afirma que Wanda Martins teria morrido após ser atingida pelos escombros: “Infelizmente ela estava esmagada pelas lajes. Teve azar e o pilar da laje pegou a senhora”. Seis pessoas foram retiradas com vida dos escombros e uma delas foi levada pelo helicóptero Águia da PM ao Hospital das Clínicas.

O delegado titular do 4º distrito policial de Diadema, Miguel Ferreira da Silva, afirma que o laudo técnico será determinante: “Você tem o uma igreja situada em um bairro, onde se tem uma série de vizinhos que podem dizer se a obra estava em andamento ou não, tem a fiscalização da prefeitura que compareceu ao local. Basicamente é isso, você tem provas, tem um laudo pericial que vai indicar porque aconteceu o desabamento, esse é o principal, é o técnico”.

As investigações vão apurar por que a construção de uma garagem estava acontecendo no andar térreo do prédio onde funcionava a igreja. A Prefeitura de Diadema diz que técnicos verificaram movimentação de terra no imóvel na segunda e solicitaram alvarás de aprovação e execução da obra.

A administração municipal afirmou ainda que a documentação não havia sido protocolada até o momento do acidente. Os advogados responsáveis pela Assembleia de Deus no Campo do Taboão se limitaram a dizer que devem se pronunciar sobre o caso nesta sexta-feira.

Reportagem: Tiago Muniz