Polícia de São Paulo captura uma das criminosas mais procuradas do estado

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2015 12h53
SÃO PAULO,SP,15.07.2013:PRISÃO POLICIAIS CIVIS/OPERAÇÃO/PROPINA - Fachada da Corregedoria Geral da Polícia Civil, na Rua da Consolação, em São Paulo (S), nesta segunda-feira (15). Policiais Civis foram presos durante operação do Ministério Público e da Corregedoria da Polícia Civil acusados de receber até R$ 300 mil de propina de traficantes por ano. Segundo o MP, foram expedidos pela Justiça 13 mandados de prisão, que devem ser cumpridos ainda hoje, sendo onze contra integrantes ou ex-integrantes do Denarc. (Foto: Eduardo Ferreira/Futura Press/Folhapress)Polícia Civil - operação em 15 de julho

 A Polícia de São Paulo prendeu uma estelionatária que estava na lista dos criminosos mais procurados do estado. Vanilde Alves, de 50 anos, era conhecida por aplicar golpes e possuía 17 mandados de prisão pelo crime de falsidade ideológica. A golpista foi presa por policiais do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas, em um supermercado no Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Osvaldo Nico Gonçalves, delegado e diretor do Decade, informa que a polícia estava há mais de seis meses investigando a criminosa: “Nós estamos atrás dela há mais de seis meses e nós intensificamos as investigações na última semana porque havia indícios de que ela estava usando um nome falso em Camboriú. Os policiais das delegacias de captura foram até Camboriú, com várias diligências feitas, e o resultado foi a prisão dela. Uma a menos na lista dos dez mais procurados”.

O delegado acrescenta que a soma do tempo dos mandados impetrados contra Vanilde ultrapassava os 100 anos de prisão. Ele destaca ainda que operações contra estelionatários são sempre complexas: “O nosso trabalho aqui na divisão de capturas é prender as pessoas. É um trabalho difícil prender um estelionatário, que troca de nome e de cidade. É muito complexo esse tipo de prisão”.

Segundo o delegado Gonçalves, antes de fugir para Santa Catarina, a golpista praticou crimes de falsidade ideológica na região do Vale do Ribeira. A transferência de Vanilde Alves de Santa Catarina à São Paulo será feita na segunda-feira (26/10).