Polícia investiga rastros de explosivos usados durante roubo em Campinas

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2016 08h37
SP - PROTEGE/CAMPINAS/ASSALTO - GERAL - Um bando fortemente armado rendeu funcionários, invadiu a empresa de valores Protege e explodiu cofres, na madrugada desta segunda-feira, 14, em Campinas, interior de São Paulo. Na fuga, os criminosos abriram caminho à bala, atirando com fuzil contra imóveis vizinhos. De acordo com a Polícia Militar, a ação durou cerca de uma hora. Os criminosos estavam encapuzados e dispararam vários tiros contra o prédio para obrigar os seguranças a se renderem. Em seguida, foram ouvidas várias explosões. Uma das paredes da empresa ruiu parcialmente. 14/03/2016 - Foto: EPITÁCIO PESSOA/ESTADÃO CONTEÚDOAssaltantes usaram explosivos para invadir uma empresa de segurança localizada em Campinas.

 O Secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, afirmou que os assaltantes que roubaram uma empresa de segurança em Campinas deixaram rastros. Ele destaca os detalhes de planejamento da ação que incluiu o espalhamento de tachas no asfalto para impedir perseguições.

Moraes acrescenta que a perícia já constatou a presença de especialistas em explosivos no ataque da quadrilha. Em entrevista a Daniel Lian, o secretário garante que desta vez os bandidos deixaram pistas importantes: “Há vários rastros que foram deixados, inclusive em relação aonde o explosivo foi adquirido, e serão investigados pela polícia de Campinas e pelo Deic”.

O Ministro da Defesa, Aldo Rebelo, afirmou que sua pasta realiza intensa fiscalização sobre o comércio, produção e transporte de explosivos, mas admite que o País está aberto ao comércio ilegal de vários produtos controlados: “O País muitas vezes é submetido ao comércio ilegal, de tudo quanto é coisa, inclusive de explosivos. O que cabe é aumentar a vigilância e integrar mais as forças de inteligência das polícias”.

O uso de explosivos por quadrilhas tornou-se corriqueiro em todo o País em ataques a caixas eletrônicos. As autoridades não divulgaram a quantia roubada da empresa de segurança após uma hora de tiroteio.