‘Trump tem problemas, mas entrega, Bolsonaro não entrega’, diz especialista

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2019 17h18
Jovem PanO deputado estadual Daniel José (Novo) e o escritor Martim Vasques participaram do Pra Cima Deles nesta sexta-feira (17)

O escritor Martim Vasques comparou os governos de Jair Bolsonaro e Donald Trump. Para ele, a principal diferença é que Bolsonaro não está entregando o que prometeu. “Trump tem problemas, mas entrega, o Bolsonaro não está entregando. Ele está deixando boa parte da população profundamente insatisfeita”, disse o articulista durante participação no programa Pra Cima Deles, da Jovem Pan, nesta sexta-feira (17).

Vasques e o deputado estadual de São Paulo Daniel José (Novo) comentaram as manifestações contra o bloqueio de verbas na educação, na última quarta-feira (15). Para José, o governo falhou na comunicação. “Quando você vai fazer uma política pública delicada, tem que ter uma comunicação infalível. Ninguém entende muito bem como funciona o orçamento das universidades”, explicou.

Os protestos levaram milhares de pessoas às ruas em todo o país e foram comandados principalmente por movimentos de esquerda e movimentos estudantis, como a União Nacional dos Estudantes (UNE). “Quem está fazendo a une ressurgir é o próprio Bolsonaro”, disse o deputado.

Os comentaristas, no entanto, apontaram que não foi só a esquerda que foi às ruas. “As pessoas que não estão ligadas à esquerda também estão apoiando porque não têm uma ideia clara do que é restrição orçamentária”, ponderou Daniel José.

Para Martim Vasques, isso mostra que a sociedade perdeu a paciência com políticos no geral. “A sociedade civil quer que as coisas aconteçam, torce para que esse governo dê certo, mas se o político não entregar o mínimo que prometeu, ela vai bater panela”, afirmou. “Cabe ao governo ter humildade de admitir que está falhando. Se o governo não fizer isso, a sociedade civil vai contra-atacar e vai ser muito mais rápido do que o presidente parece perceber”, continuou. “Se o governo continuar a toada imprudente, a esquerda vai ressurgir.”