Presidência de Renan Calheiros estava constrangendo o Senado, diz líder do PPS

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2016 09h33
Senador Cristovam Buarque - ASENADO

O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio decidiu nesta segunda-feira (5) afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do cargo. O ministro atendeu a um pedido liminar feito pela  Rede Sustentabilidade.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), disse não acreditar que a decisão do ministro do Supremo tenha sido uma forma de retaliação. “Não acredito que um ministro do Supremo faça isso. O ministro suspendeu o mandato de presidente, não cassou um mandato de senador. Se ele fizesse isso eu seria contra”, defendeu.

Segundo o senador do PPS, a decisão de Marco Aurélio Mello foi tomada com base em reunião em plenário e atendeu ao anseio da sociedade. “Eu não posso dizer que recebi com surpresa [a notícia do afastamento] (…). É o atendimento de um desejo de todos de que a presidência do senador Renan Calheiros estava constrangendo a Casa”.

O pedido de afastamento foi feito pelo partido após a decisão proferida pela Corte na semana passada, que tornou Renan réu pelo crime de peculato. De acordo com a legenda, a liminar era urgente porque o recesso no Supremo começa no dia 19 de dezembro, e Renan deixará a presidência no dia 1º de fevereiro do ano que vem, quando a Corte retorna ao trabalho.

Votações na Casa

Agora sob o comando do senador Jorge Viana (PT-AC), o Senado tem a PEC do teto de gastos para votação em segundo turno, além de outras pautas.

Para Cristovam Buarque, apesar de o petista ser opositor ao Governo, “é uma pessoa que sempre se pautou pelo respeito às decisões da Casa, da maioria”, e deve colocar as próximas pautas em discussão com os líderes partidários para ver se as mantém ou não.

Mas ele ponderou: “se Jorge Viana quiser usar poder autocrático, ele pode usar. Mas não creio. Isso não tem sido uma prática comum. É muito difícil um presidente impor monocraticamente, ainda mais um que tenha as características de Jorge Viana”.

Confira a entrevista completa: