Presidente da Câmara diz que o que existe é “Lava Cunha” e não Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2015 10h27
BRASÍLIA, DF, 15.10.2015: EDUARDO-CUNHA - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), comanda sessão nesta quinta-feira (15). (Foto: Renato Costa/Frame/Folhapress)Eduardo Cunha

 O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, diz que querem transformá-lo em chefe do petrolão do PT e mudar o nome da Lava Jato para “Lava Cunha”. Em entrevista na TV Alesp, Eduardo Cunha afirma que, há quinze semanas, toda quinta-feira é divulgado um fato novo contra ele.

Nesta semana não foi diferente, e o STF determinou o repatriamento do dinheiro atribuído ao parlamentar na Suíça e negou segredo ao processo. Mas falando ao presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, o deputado Fernando Capez, Cunha volta a atacar Dilma Rousseff: “Fui eleito pelo Ministério Público como se eu fosse o chefe do petrolão. Não tem operação Lava Jato, é operação Lava Cunha. Toda quinta-feira, nas últimas 15 semanas, é um palco de denúncias vazadas contra mim. (…) Antes de querer falar qualquer coisa de mim, precisa cobrar da presidente da república, que está sem apoio popular nenhum, que ela teria que renunciar. Não há possibilidade de eu renunciar”.

Aliados de Dilma Rousseff procuram outros caminhos para que o presidente da Câmara seja afastado do cargo. O deputado Silvio Costa, vice-líder do governo no parlamento, quer que a Procuradoria Geral da República derrube Eduardo Cunha: “Não é possível a gente continuar com uma situação inusitada como essa, onde um presidente que está denunciado com conta na Suíça diz que não renuncia e essa casa está nesse marasmo.” O deputado Eduardo Cunha assinala que não tem condições de levar a sério as palavras do colega Silvio Costa.

O presidente da Câmara insiste que, assim que puder examinar o conteúdo dos processos, dará as respostas adequadas.