Presos no RJ poderão comprar suas próprias tornozeleiras eletrônicas

  • Por Jovem Pan
  • 10/11/2016 08h03
Nesta quinta-feira(16), mais um grupo de presos do regime semiaberto de unidades prisionais de Curitiba, Londrina, pertecentes á Secretaria Estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, passa a ser monitorado por tornozeleiras eletrônicas. - Curitiba/Pr, 16.10.2014 - Foto Jonas Oliveira/AENPrTornozeleira eletrônica - ANPR

Um polêmico projeto foi aprovado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro nesta quarta-feira (09). A partir de agora, presos podem comprar sua própria tornozeleira eletrônica para ter a progressão de regime. Falta dinheiro para comprar, manter e firmar contrato com a empresa responsável.

O projeto virou lei, mas ainda depende da sanção do governador Luiz Fernando Pezão. Presos, através de parentes e advogados, poderão comprar as tornozeleiras que andam em falta por conta da escassez de dinheiro no governo do Estado.

Depois de usarem a tornozeleira pelo tempo determinado pela Justiça, os equipamentos serão doados ao governo fluminense. O objetivo da lei é desafogar o sistema penitenciário.

A capacidade dos presídios do Estado gira em torno de 25 mil a 30 mil detentos, mas hoje tem cerca de 50 mil. Cada tornozeleira eletrônica custa em média R$ 2 mil.

*Informações do repórter Rodrigo Viga