Prisões no Senado podem acelerar regulamentação de abuso de poder

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2016 06h47
Brasília - A Polícia Federal prendeu policiais legislativos suspeitos atrapalhar a Operação Lava Jato (José Cruz/ Agência Brasil)A Polícia Federal prendeu policiais legislativos suspeitos atrapalhar a Operação Lava Jato

Até mesmo adversários do presidente do Senado, Renan Calheiros, consideram que um juiz de primeiro grau determinar busca e apreensão no Congresso é um exagero.

Mais do que a busca de equipamentos e documentos, o juiz da 10ª Vara Federal do DF, Valisnei de Souza Oliveira, determinou a prisão do diretor da Polícia Legislativa, Pedro Araujo Carvalho, policial de confiança de Renan e de outros senadores.

A decisõa pode dar mais força a iniciativa do presidente do Senado a tentar votar a regulamentação do abuso de poder. A proposta é fortemente criticada por integrantes do Ministério Público.

Dos quatro policiais legislativos presos, três foram soltos, mas não o diretor. Segundo os investigadores, ele não colaborou e nem admitiu que cometeu crimes e insistiu que uma das funções da Polícia do Senado é protege os senadores de grampos.

As maletas e equipamentos apreendidos serão periciados por técnicos da Polícia Federal. A suspeita é que estes equipamentos foram usados para escuta de ambiente e também para evitar grampos oficiais na investigação da Operação lava Jato.

Renan Calheiros saiu em defesa dos policiais e o Supremo Tribunal Federal defnirá qual a função dos policias mais bem pagos do País. Os salários chegam a R$ 27 mil.

*Informações do repórter José Maria Trindade