Promotor esclarece por que ação contra Maluf está parada no STF

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2016 12h08
Plenário 01 Reunião Ordinária Deputado Paulo Maluf Foto: Leonardo Prado 18/05/2010Paulo Maluf - Câmara

A ação penal iniciada há mais de 15 anos que envolve o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, e hoje deputado estadual, continua sem um veredito do STF. Ele é alvo de uma das seis ações penais que seguem sem uma solução definitiva por todo este tempo. Os questionamentos seguem em segredo de Justiça na Corte, ao lado de outras 84 moções associada a foro privilegiado.

Segundo o promotor do Minsitério Público de São Paulo, José Carlos Blat, um dos que abriu este caso, a ação está parada no Supremo por conta de uma ação trabalhista. Uma das empresas citadas na Lava Jato foi quem deu início ao processo a partir de uma ação movida contra a empresa por um ex-funcionário.

“Esse caso tem relação direta coma construção da antiga Avenida Água Espraiada. Foi verificado um superfaturamento. A investigação partiu de informações que eu recebi a época de um ex-diretor da Mendes Junior que tinha proposto reclamação trabalhista pleiteando o caixa dois a empresa com relação a essa obra. Tivemos comprometimento da OAS e Mendes Junior nesse superfaturamento e as investigações acabaram levando ao nome de Paulo Maluf”, explicou.

Na prática, o político do PP de São Paulo é uma espécie de réu secreto, já que o nome dele não consta no acompanhamento processual do caso. A única referência diz respeito às iniciais do deputado e ex-prefeito da capital paulista. O caso secreto se refere a movimentações milionárias realizadas em paraísos fiscais.