Redução da vazão do São Francisco pode afetar qualidade da água

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2016 12h56
Sobradinho - A Usina Hidrelétrica de Sobradinho tem capacidade total de 1050 megawatts, mas com a falta de água só tem sido possível gerar cerca de 160 megawatts (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)Reservatório de Sobradinho

 Governo decide reduzir ainda mais vazão do São Francisco para garantir abastecimento, mas medida é vista com desconfiança por especialistas. A Agência Nacional de Águas determinou que a mudança tenha início a partir de quinta-feira (07/01) nas barragens de Sobradinho e de Três Marias. O reservatório de Sobradinho possui agora apenas 2% da capacidade devido à forte estiagem que atinge a região.

O superintendente de operação da Companhia Hidroelétrica do São Francisco, Rui Barbosa Pinto, explica que a preocupação não está ligada à energia: “A ideia é preservar a água de Sobradinho. Com isso, estamos reduzindo a vazão para poder assegurar outros usos da água, como irrigação, uso humano e atendimento animal”.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema, os reservatórios com níveis mais baixos de capacidade são os localizados na região nordeste. O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, Anivaldo Miranda, diz a Anderson Costa que a queda da vazão é insuficiente: “Administrar as vazões de retirada dos afluentes do São Francisco, fazendo essas ações de outorga e redução de vazão, resolve momentaneamente a questão quantitativa da água, mas pode causar problemas sérios relativos à qualidade da água”.

Na terça-feira (05/01), foi realizada em Brasília uma reunião para definir como será a redução da vazão do São Francisco. Falando ao repórter Antônio Maldonado, o ministro interino das Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, descarta hipóteses de apagão: “A região nordeste hoje tem o suprimento da região norte e nordeste. Ela foi fortalecida com fontes de geração térmica e eólica. Hoje estamos absolutamente seguros que estamos entrando no período chuvoso”.

Segundo a Chesf, o reservatório de Sobradinho possui cerca de cinco bilhões de litros de água no volume morto, e poderá vir a ser utilizado. Apesar da escassez de chuvas até o momento, existe a possibilidade de que as precipitações retornem para encher os reservatórios do São Francisco.