Residentes de Medicina do ES que tiraram fotos polêmica se dizem arrependidos

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2017 07h31
Estudantes de medicina postam foto polêmica - Reprodução

Os alunos de medicina da Universidade de Vila Velha, no Espírito Santo, negam viés misógino da foto que viralizou nas redes sociais nos últimos dias e se defendem em reunião com diretoria da faculdade e do Conselho Regional de Medicina.

Eles alegaram, nesta terça-feira (11), que tudo não passou de uma brincadeira restrita ao grupo de residentes após uma sessão de fotos de formatura, segundo o presidente do CRM potiguar, Carlos Magno Pretti Dalapicola.

Na imagem, sete jovens aparecem de jaleco, com as calças abaixadas e fazendo gestos com as mãos, que remetem à genitália feminina.

“Eles resolveram, por ideia, de fazer foto engraçada, e sem nenhum tipo de pensamento negativo. E saíram dali para comemora o final do semestre. Nesta comemoração, alguém postou a foto que deveria ser restrita ao grupo de colegas. Aquilo se espalhou e tomou a repercussão que tomou e cada um faz o entendimento daqueles gestos”, explicou Dalapicola.

E na legenda publicada no Facebook, um estudante escreveu #pintosNervosos.

Segundo Dalapicola, os estudantes não são ligados aos cursos de ginecologia ou obstetrícia e se todos se mostraram arrependidos do feito.

O presidente do Conselho Regional de Medicina ressalta que, como eles ainda são alunos, cabe à universidade apurar o caso.

A Universidade Vila Velha, em nota, disse que repudia todas as formas de ofensa e desrespeito e que abrirá sindicância interna.

Na opinião de Dalapicola, a situação será um divisor de águas na comunidade acadêmica, que precisa admitir falhas na aplicação da disciplina de ética médica: “eu acho que a ética médica fica a desejar”.

Capitaneado pelo Conselho Federal de Medicina, está em elaboração um Código de Ética para os Estudantes de Medicina.

Terá um caráter mais informativo do que punitivo e apresentará preceitos éticos e de compromisso com a saúde, definindo direitos, deveres e as regras de relacionamento com o paciente e com a profissão.

A previsão é que fique pronto no ano que vem.

*Informações da repórter Carolina Ercolin