Reunião do diretório do PMDB deve confirmar desembarque do governo

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2016 07h07
Convenção Nacional do PMDB

 O desembarque do PMDB do governo federal é inevitável e deverá ser selado nesta terça-feira (29/03) durante a reunião do diretório nacional do partido. Ainda que o abandono não seja unânime, líderes ligados ao vice-presidente já falam abertamente na construção de um possível governo de Michel Temer. O executivo federal teme que a partida do PMDB leve também à debandada de outras legendas da base aliada como PR, PP e PSD.

O ex-ministro Moreira Franco diz à Hellen Barun que, mesmo não havendo consenso, a partida peemedebista é certa e liderada por Michel Temer: “O esforço que o Michel Temer faz como presidente do partido é construir uma maioria sólida, absoluta e expressiva para que efetivamente essa posição tenha trânsito amplo, geral e irrestrito no partido, porque esse é o desejo da sociedade brasileira”.

O PMDB do Rio de Janeiro, histórico aliado do PT no estado, surpreendeu ao anunciar que votará favoravelmente à saída do partido do governo federal. O presidente do PMDB do Rio, o deputado estadual Jorge Picciani, já fala inclusive como poderia ser um governo chefiado por Michel Temer: “Os fatores políticos são muito maiores que os econômicos para que a gente possa retomar dias melhores para o povo brasileiro. O Temer tem senhoridade, experiência, competência acadêmica e política, foi três vezes presidente da Câmara e rapidamente levará o Brasil ao rumo que tem que estar”.

Picciani tem a liderança da legenda na Câmara graças ao apoio do governo e resiste à debandada peemedebista. O impeachment de Dilma requer 342 votos. O PMDB tem 69 congressistas que poderiam se unir aos 152 parlamentares favoráveis ao processo.