Risco de afogamentos cresce durante o Carnaval por causa de bebidas alcóolicas

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2016 11h37
Salva-vidas

 Especialistas alertam que o risco de afogamentos aumenta durante o período do Carnaval principalmente devido à ingestão de bebidas alcoólicas. Desde o início do verão até agora, 46 pessoas morreram afogadas no Estado de São Paulo, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

Os dados da corporação revelam que 26 mortes ocorreram nas praias e o restante nos rios, represas e piscinas. O porta-voz dos Bombeiros, Capitão Marcos Palumbo, diz a Anderson Costa que, no mar, o limite seguro de água é a região do umbigo: “O bombeiro tem um ditado que é ‘água no umbigo, sinal de perigo’, porque a gente tem ali o ponto médio do corpo. Se você passa do umbigo, caso entre em uma corrente de retorno ou lateral, ou caia em uma vala, você pode ser arrastado se passar o limite”. Segundo o Capitão Palumbo, é importante os banhistas ficarem atentos às chamadas correntes de retorno, que são verificadas pelos guarda-vidas.

O diretor da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático, David Spilzman, ressalta que o consumo de bebida alcoólica pode facilitar o afogamento: “Porque a bebida alcoólica sempre dá à pessoa que está bebendo uma falsa impressão de segurança e isso prejudica do ponto de vista do afogamento. Nas praias: evitar o álcool, verificar qual o melhor local para se banhar e sempre usar o guarda-vidas como uma fonte confiável de segurança”.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as áreas de correntes de retorno são identificadas com placas pelos guarda-vidas. Os especialistas apontam que o risco maior de afogamento está nas praias, seguido por represas, rios, córregos e piscinas.