Rombo nas contas externas cai 60% em 2016; o menor em nove anos

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2017 08h11
SAO PAULO. DOLAR DISPARANDO A CAMINHOS DOS 4 REAIS. FOTOS FERNANDA CARAVALHO FOTOS PUBLICASDólar

Rombo nas contas externas diminui 60% em 2016, com déficit acumulado de 23,5 bilhões de dólares, o menor em nove anos. Foi o melhor resultado para o Brasil desde 2007, quando o saldo ficou positivo em 408 milhões de dólares.

Em 2015, o rombo havia sido de quase 59 bilhões de dólares.

Apesar de a queda ser positiva, o resultado se deve mais a uma queda nas importações do que pelo aumento das exportações brasileiras.

O único ponto a se comemorar é o crescimento dos investimentos diretos na economia do Brasil, que somaram cerca de 79 bilhões de dólares em 2016.

O economista Alex Agostini aponta que a melhoria é importante porque garante a capacidade do Brasil cumprir seus compromissos. Ele avaliou que a situação é favorável para investidores internacionais e também domésticos, refletindo no emprego e na renda.

Em entrevista a Denise Campos de Toledo, o economista Everton Carneiro explicou por que o resultado de 2017 deve ser um pouco pior:

Ao contrário da previsão do consultor Éverton Carneiro, o Banco Central está um pouco mais otimista para 2017. A autoridade monetária espera terminar 2017 com um rombo ainda menor nas contas externas, com déficit de 22 bilhões de dólares.

Confira: