Rubens Barbosa: Argentina e Brasil serão concorrentes no Fórum de Davos

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2016 07h36
Mauricio Macri

 Para o embaixador e presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da Fiesp, Rubens Barbosa, o Brasil está em uma posição difícil no Fórum Econômico Mundial, que será realizado entre os dias 20 e 23/01 em Davos, na Suíça: “Vamos estar em uma posição defensiva no Fórum, de explicar as coisas e isso é sempre complicado”.

Barbosa explica que a Argentina será uma forte concorrente do Brasil no sentido de atrair investimentos de outros países: “O principal elemento novo é a presença da Argentina, que é um dos países que mais vai aparecer lá. Isso porque eles (argentinos) já resolveram a situação política, o que não aconteceu aqui no Brasil, e têm um presidente que dá uma visão de perspectiva de futuro, o que está faltando aqui”. O embaixador afirma que a Argentina tem encontros marcados com muitas pessoas importantes e que, atualmente, o risco da Argentina é melhor que o do Brasil.

Sobre os possíveis países e empresas investidoras, Barbosa diz que o Brasil precisará mostrar uma perspectiva de médio e longo prazo: “Enquanto a situação política não ficar mais clara, é muito difícil que as empresas de fora voltem a investir no país. As empresas e os governos estão esperando para ver qual o desenlace da crise política no Brasil”.

Com o petróleo abaixo de US$ 30, a desaceleração da economia e com o fato do Brasil ser um país que depende mais de 70% da exportação de produtos primários, Barbosa afirma que a balança comercial deve se manter positiva, mas por causa da queda de importações: “A balança de comércio desse ano vai aumentar mais do que no ano passado, mas isso deriva mais da desaceleração das importações do que do aumento das exportações”.