Saneamento no Brasil é “vergonhoso” com 60% do esgoto sem tratamento

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2016 09h08
Valter Campanato/ABrBenefício reduziu de 4,2% para 3,3% o número de brasileiros que vivem em extrema pobreza

 A situação do saneamento básico no Brasil é considerada vergonhosa pela área da saúde, que alerta: 60% do esgoto no país não tem tratamento. O governo federal recebeu um documento de entidades que pressionam por ações em favor de melhoria dos serviços. Os dados do Ministério das Cidades mostram que 35 milhões de pessoas não possuem acesso à água tratada.

O vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Sinval Brandão Filho, diz a Thiago Uberreich que a falta de saneamento interfere na saúde pública: “A prioridade maior da saúde pública no Brasil é o saneamento básico, ou seja, enquanto a gente não superar esses índices horrorosos e precários de saneamento em todas as regiões do país, dificilmente o Brasil vai avançar na qualidade de saúde da sua população”. Brandão Filho lembra que as obras de saneamento básico poucas vezes rendem votos aos políticos.

Para o presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos, não são apenas regiões pobres que sofrem com a falta de tratamento de esgoto: “Esse esgoto não tratado está por todo o país, mesmo em áreas nobres. Não é um problema dos pobres, da periferia. Olhando em um primeiro momento, parece que é um problema de quem mora longe, em área rural, mas está em todo lugar”.

O presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos, acrescenta que os estados e as prefeituras precisam ter consciência sobre o tratamento da água. Um cálculo indica que o volume de esgoto jogado diariamente em rios e córregos do país equivale a cinco mil piscinas olímpicas.