Secretaria de Segurança apreenderá armas de taxistas e motoristas do Uber

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2016 07h03
SP - ALEXANDRE-MORAES-VISTORIA-TÁXIS-UBER - GERAL - O secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, acompanha em pelo menos 3 pontos da capital paulista uma operação da Polícia Civil em busca de armas e ilícitos nos táxis e carros do Uber, em São Paulo (SP), na noite desta quarta-feira (04). Algumas armas brancas foram apreendidas e pelo menos duas pessoas detidas portando entorpecentes. 03/02/2016 - Foto: CHELLO FOTÓGRAFO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBlitz com taxistas e motoristas do Uber.

 A Secretaria da Segurança Pública realizou uma blitz para apreender armamentos com motoristas de táxi e do Uber em São Paulo. A operação do Decap, Departamento de Polícia Judiciária da Capital, foi deflagrada na noite de quarta-feira (03/02) em vários pontos da cidade.

A intenção era flagrar motoristas transportando armas ou objetos que pudessem ser usados em supostos confrontos. A ação ocorreu depois das mensagens que circularam no WhastApp em que supostos taxistas ameaçavam atacar motoristas do Uber.

As fiscalizações foram acompanhadas pelo Delegado Geral Yousseff Abou Chahin e pelo secretário da Segurança, Alexandre de Morais. Ao final, o delegado Abou Chain detalhou o que foi apreendido: “Nós pegamos alguns canivetes, facas, barras de ferro em um táxi e um porrete de madeira em outro. Essas coisas foram conduzidas ao Distrito para serem apreendidas, mas no geral, tanto os motoristas de Uber quanto os taxis estavam em ordem, inclusive com a documentação”.

As ameaças no aplicativo de mensagens surgiram após a Justiça proibir o Departamento de Trânsito Público de apreender os carros pretos dos motoristas do aplicativo.

O secretário Alexandre de Morais alertou para os riscos destas mensagens erem falsas: “Temos que investigar se são verdadeiros os vários áudios que colocaram os taxistas insuflando, o que é perigoso porque podem querer prejudicar os taxistas colocando isso, mas pode ter certeza que na Secretaria de Segurança Pública vai garantir a segurança”. Alexandre de Moraes informou que as operações continuarão durante todo o Carnaval.

Na quarta-feira, a Polícia Civil informou que abriu inquérito contra o presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores das Empresas de Táxi de São Paulo. Antônio Matias será investigado por incitação e apologia ao crime após ter veiculado um vídeo nas redes sociais ameaçando os motoristas do Uber.