Serra minimiza protesto contra Temer na ONU: “seis não fazem diferença”

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2016 09h28
José Serra

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, minimizou a atitude de delegados que protestaram contra Michel Temer durante assembleia da ONU. O presidente da Costa Rica e delegados de Equador, Bolívia, Cuba, Nicarágua e Venezuela abandonaram o plenário da ONU nesta terça-feira (20), enquanto o chefe de Estado brasileiro fazia o discurso de abertura da 71ª Assembleia Geral da organização.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, Serra afirmou: “tenho a impressão de que não foi recebido [o protesto]. Eu estava lá e não vi. São 200 integrantes [na ONU] e seis não fazem diferença para nada. Eu não vi e nem ouvi nada. Significado do ponto de vista internacional? Nenhum”.

Associada ao Mercosul, a Bolívia também seguiu o gesto dos outros cinco países. Serra, no entanto, voltou a dizer que a atitude não é significativa nem política e nem economicamente.

A Costa Rica, que busca adotar uma política mais neutra, disse em nota que seguiu o processo no Brasil e que está “preocupada com a situação brasileira”.

“Nossa decisão, soberana e individual, de não ouvir a mensagem do senhor Michel Temer na Assembleia Geral, obedece à nossa dúvida ante certas atitudes e atuações, e se pretende declarar sobre práticas democráticas”, diz nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores da Costa Rica.

Serra reafirmou que não entende o que foi divulgado em nota e destacou que a Costa Rica “não é bolivariana”.

Confira a entrevista completa: