Serra nega articulação: Matarazzo “deu o passo que deu por convicção própria”

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2016 08h28
José serra - facebook

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, negou que tenha articulado para a concretização da aliança entre Andrea Matarazzo (PSD) e Marta Suplicy (PMDB).

“O Andrea deu o passo que deu por convicção própria. Não fiz nenhuma articulação neste sentido. Houve dissidências do PSDB e uma delas foi a do Andrea. São duas pessoas, Andrea e Marta, que têm muita experiência”, disse.

José Serra também negou que um eventual apoio a aliança tenha a ver com uma candidatura à presidência em 2018. “Isso tem muito pouco a ver com questão presidencial”, afirmou o ministro, que destacou que a única preocupação que possu é ajudar o Governo interino de Michel Temer.

“Temer assumiu e decidi dar minha colaboração para que o Governo vá bem. Se o Governo for bem, isos é bom para todos nós. Olhando de fora, na prática, não tem cabimento o debate de uma candidatura presidencial. Não é o caso de levar o esforço para essa direção. Temos que trabalhar e deixar a questão de disputa [presidencial] para mais tarde e daqui um ano, um ano e meio, ver isso”, justificou.

Apesar de reiterar que não pensa no assunto, o tucano relembrou que, “desde a redemocratização”, todos os presidentes que asusmiram foram surpresas.

“Sarney porque o Tancredo morreu. Depois veio o Collor, que foi desconhecido. Depois Itamar, quando Collor saiu. Aí veio Fernando henrique, que fez o plano Real e deu certo. Depois veio o Lula, após quatro tentativas. Aí a Dilma, que ninguém conhecia. A Dilma sai e entra o Temer, que ninguém esperava. Ser presidente não é previsto. Por isso, prefiro não prever”.