Soldado dos Bombeiros se confunde e mata policial que investigava suspeitos

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2016 06h09
Manaus, 16/09/2015. TJAM encaminha 352 armas de fogo para destruição no 12º Batalhão de Suprimentos do Exército, no km 53 da AM-010. Foto: Raphael Alvesarma de fogo

Policial civil é morto a tiros por soldado do Corpo de Bombeiros durante investigação na região da Vila Formosa, Zona Leste de São Paulo.

A confusão que culminou com a morte do agente Eugênio Fernando Gonçalves, da Segunda Delegacia Seccional Sul, ocorreu no final da tarde desta terça-feira (29).

Durante uma investigação, o policial civil e um colega faziam campana na Rua João Dias Teixeira, na Chácara Belenzinho, à espera de suspeitos que haviam deixado no local uma picape Fiat Strada prata, que haviam furtado.

O veículo tinha rastreador e, com isso, foi localizado pelos policiais no local onde havia sido deixado pelos ladrões, que retornaram em um Ford Ka azul.

Na abordagem, o agente Gonçalves teria efetuado disparos contra os bandidos, e um dos tiros acertou uma mulher, de raspão.

A vítima avisou o soldado Reinaldo Renato, do Corpo de Bombeiros, que, de folga e à paisana, fazia “bico” como segurança emn um mercado.

O militar, supondo que fosse um assalto, passou a perseguir o suposto ladrão e efetuou disparos, acertando o agente Gonçalves.

Sem tempo de reação, o policial civil foi atingido por cinco tiros e morreu quando era atendido no Hospital da Vila Alpina.

Um dos suspeitos alvo da investigação acabou detido pelo colega do agente, mas, na confusão, mesmo algemado, conseguiu fugir da viatura.

O soldado do Corpo de Bombeiros foi detido por colegas da própria PM e conduzido ao 58º Distrito Policial, da Vila Formosa, onde foi autuado em flagrante por homicídio.

*Informações do repórter Paulo Edson Fiore