SP tem um caso de chikungunya por semana; ocorrências de dengue caem 84%

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2016 11h47
EFE/Jeffrey Arguedas mosquito da dengue

Casos de dengue caem 84% em São Paulo de janeiro a 16 de agosto deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram registrados 15.951 casos nos oito primeiros meses deste ano, contra 100.438 de 2016.

No entanto, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, neste ano foram registrados 39 casos de chikungunya, contra nenhum em 2015.

Alessandro Giangola, coordenador de ações de combate ao Aedes aegypti em São Paulo, explicou os motivos da queda da dengue. “Logicamente que sem a ajuda da população esses casos não teriam diminuído, além das ações da Prefeitura e ajuda do clima”, lembrou.

Já no caso de chikungunya, a doença é tida como nova, por isso não é possível estabelecer parâmetro de avanço ou retrocesso.

Giangola disse ser um problema preocupante, mas se as ações não tivessem sido efetivas, os números seriam maiores. “A preocupação sempre deve existir. Nós já esperávamos casos de chikungunya em 2015. Ela já vinha em crescimento em todo o Brasil e em 2014 tinha se apresentado na América Central, então já esperávamos a ocorrência da doença”, explicou.

Proporcionalmente é como se uma pessoa fosse notificada com chikungunya por semana. Os 39 casos na capital são autóctones e isso mostra que foram contraídos em São Paulo, ou seja: o vírus da doença circula na cidade.

A febre chikungunya traz efeitos dolorosos para o paciente, que pode ter reflexos por meses e até anos.

*Informações do repórter Fernando Martins