SSP-SP trabalha para compatibilizar direitos de greve e de ir e vir, diz secretário

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2017 10h11
SP - GREVE GERAL/SP/AEROPORTO - GERAL - Manifestantes protestam no entorno e também na área interna do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, na manhã desta sexta-feira, 28. A ação faz parte do movimento de Greve Geral convocado para esta data em todo o País. Os trabalhadores protestam contra as reformas trabalhista e previdenciária, propostas pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB). 28/04/2017 - Foto: MARCELO CHELLO/CJPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOManifestantes protestam no entorno e também na área interna do Aeroporto de Congonhas - ae

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Mágino Alves Barbosa, afirmou que a pasta trabalha nesta sexta-feira (28) para garantir a compatibilização dos direitos de quem quer se manifestar e dos trabalhadores de ir e vir.

Até às 9h30, a SSP-SP mantinha contagem de dez pessoas presas por condutas criminosas. “As pessoas foram encaminhadas ao 33º e 75º DP. Neste último, seis pessoas foram presas com gasolina, tocha, pregos retorcidos”, disse.

O secretário garantiu ainda que a Polícia Militar está preparada para agir no final da manifestação, quando o temor é de que black blocs causem danos ao patrimônio público e privado. “PM vai agir como age em manifestações quando há quebra da ordem. Vai agir com rigor e dentro da lei. Vamos usar técnicas de Controle de Distúrbio Civil e vamos abrir negociação quando possível para desobstrução das vias, garantia de patrimônio público e privado. É isso que espera a sociedade ordeira de São Paulo”, disse.

As técnicas citadas por Mágino Alves, CDC, são utilizadas para dispersão de manifestantes hostis. “A Polícia Militar de São Paulo é uma referência internacional neste tipo de policiamento. É policiamento muito preparado. Temos dois batalhões que se dedicam para esse tipo de ação. Prevê uso progressivo da força. Temos veículos e equipamentos especiais para isso”.

Em comportamento não usual para um secretário de Segurança, o chefe da pasta aproveitou o espaço da entrevista para agradecer ao seu efetivo policial: “não é usual, mas quero agradecer minha tropa da PM que faz um trabalho excepcional. Não é usual um secretário de segurança fazer isso, mas desde as 3h a PM está agindo no combate a esse tipo de ação”.

Confira a entrevista completa: