“Táxi Preto” divide opinião de vereadores, mas disputa por alvarás continua

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2015 11h53
SÃO PAULO, SP, 08.10.2015: UBER-SP - Manifestantes protestam em frente à Prefeitura de São Paulo, no centro, nesta quinta-feira - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), permitirá o uso do aplicativo Uber na cidade de São Paulo. Para a atividade ser regulamentada, será criada uma nova categoria de táxi conhecida como "Táxi por aplicativo". (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Folhapress)táxi

 Mais de 27 mil pessoas se inscreveram no sorteio para conseguir o alvará do Táxi Preto na capital paulista. A modalidade foi criada pela Prefeitura após a proibição do aplicativo Uber, que liga passageiros a carros particulares. Apesar da criação da nova categoria, a polêmica envolvendo taxistas e funcionários do aplicativo continua na cidade. No domingo (30/11), dois passageiros do Uber foram espancados por motoristas de táxis na Zona Norte da capital.

Durante sessão na Câmara, o vereador do PTB, Adílson Amadeu, que é contrário ao aplicativo, defendeu uma maior fiscalização para coibir o uso do serviço: “Se as autoridades não tomarem cuidado, vão acontecer coisas piores. Não dá para perder o serviço de táxi e ficar com a boca calada, triste e enfurecido. Acho que com as blitz que vão ser feitas, vai solucionar e tirar esses ilegais de uma vez por todas da rua”.

Já o vereador José Police Neto, do PSD, condenou a criação da nova categoria de táxis por parte da Prefeitura: “E o que é mais incrível é que estamos premiando a delinquência, estamos oferecendo cinco mil alvarás para aqueles que cercaram esta Casa por duas, três vezes, que param o trânsito da cidade toda semana. Não um ou dois, mas recorrentes incidências como essas, e a ação pública é premiar”.

O sorteio para os novos alvarás do Táxi Preto será feito no próximo dia 10 de dezembro.

Informações do repórter Anderson Costa