“Tem que fazer uma reforma constitucional, de cima para baixo”, diz Fernando Capez

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2015 10h06
SÃO PAULO, SP, 09.12.2015 - ALCKMIN-EVENTO - O presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez, durante a abertura do curso internacional Combate à Fraude e à Corrupção nas Contratações Públicas.no Palácio dos Bandeirantes, na na manhã desta quarta-feira, 09 (Foto: Adriana Spaca/Brazil Photo Press/Folhapress)Fernando Capez

 Em meio ao grande debate relacionado aos gastos públicos e metas fiscais, um projeto polêmico, aprovado em primeiro turno na Assembleia Legislativa de São Paulo, prevê a criação de duas novas secretarias da mesa diretora. Sobre os custos do projeto, o presidente da assembleia, Fernando Capez, afirma: “O projeto não cria nenhum novo cargo, não cria despesa. Um grupo de deputados apresentou o projeto porque pretendem participar das decisões administrativas da mesa diretora, relacionadas à contratação, gastos e despesas”.

Capez explica o procedimento das decisões da forma que são feitas hoje e o que vai mudar: “Todas as decisões, o presidente submete para aprovação do primeiro e segundo secretário, então as decisões são tomadas por três deputados. Esse projeto colocaria mais dois secretários, ou seja, teria mais deputados envolvidos. Não aumentaria os gastos porque só se refere ao poder de voto”.

Ao ser questionado sobre a quantidade de cargos públicos e as despesas que geram para o país, o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo afirma que eles estão tomando medidas para a contenção de gastos e defende uma reforma constitucional: “O número de funcionários que tem na assembleia é o de uma cidade. Tem órgãos que produzem leis, despesas, mas os gastos são infinitamente menores do que se teria direito por responsabilidade fiscal. Tem que fazer uma reforma constitucional, administrativa, vinda do Congresso, de cima para baixo”.

Confira a entrevista completa no Jornal da Manhã.