Temer volta a defender teto de gastos para o Governo e Estados

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2016 06h57
BRA01. BRASILIA (BRASIL), 11/10/2016-BRASILIA.- El presidente de la República de Brasil, Michel Temer participa hoy, martes 11 de octubre de 2016, de la ceremonia de firma acuerdo de cooperación técnica entre la Presidencia de Brasil y el Tribunal Supremo Electoral, en Palacio Planalto, en Brasilia (Brasil). EFE/Cadu GomesMichel Temer - EFE

O presidente Michel Temer negou que o objetivo do Governo neste momento seja retomar a tese do chamado Estado mínimo. Segundo ele, o que se busca é um Estado eficiente, que atenda aos interesses da população.

Por conta disso, Temer voltou a defender a necessidade de estabelecer um teto de gastos, não só no Governo federal, mas também nos Estados. “Nós estamos com um problema seríssimo nos Estados, particularmente no Rio de Janeiro. Em um dado momento a despesa excede a receita. Ninguém pode gastar mais do que aquilo que arrecada. Ora bem, do instante que nós fazemos um grande ajustamento fiscal, nós estamos pensando no Brasil do futuro”, disse.

Temer mais uma vez disse que não está preocupado com o impacto das reformas em sua popularidade. Admitiu que tem ouvido conselhos de que elas vão torná-los um presidente extremamente impopular.

Com um discurso de que não pretende ser candidato em 2018, Temer garantiu que não se preocupa com a impopularidade no momento.

*Informações da repórter Luciana Verdolin