Tribunal de Contas cobra explicações sobre qualidade da merenda em SP

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2016 11h18
Escorpiões encontrados em local de merenda escolarEscorpiões encontrados em local de merenda escolar / Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

 O tribunal de contas do estado deu 15 dias para que o governo de São Paulo e os municípios justifiquem as péssimas condições na merenda oferecida aos alunos da rede pública. Nesta terça-feira (31), uma fiscalização surpresa do órgão flagrou escorpiões, pombos e até rede de esgoto aberta em refeitórios de escolas do interior e da região da metropolitana de São Paulo. Alimentos vencidos também foram encontrados.

Das 200 unidades municipais, estaduais e Etecs auditadas, cerca de 90% não tinham alvará da vigilância sanitária nem do corpo de bombeiros em dia.

O presidente do TCE, Dimas Ramalho, se diz perplexo com a situação: “Quando você percebe que todo esse tanto não tem registro legal, alguma coisa é grave. Vamos atrás perguntar”. Ramalho garante que medidas punitivas serão adotadas em breve.

O presidente do Tribunal de Contas faz questão de destacar que as precariedades encontradas na blitze não poderão ser justificadas pela falta de verbas: “Para merenda tem, pode faltar dinheiro para um asfalto, mas para merenda é inviável. Nós organizamos que isso não falta e o que nós podemos assegurar é que haverá consequências, tanto na área administrativa e municipal, como também no Ministério Público de São Paulo”.

A auditoria ocorreu semanas após diversas manifestações de estudantes pedirem comida de melhor qualidade nas escolas do estado, além da abertura de uma CPI para investigar a máfia da merenda na assembleia. Apesar da pressão, a instalação da comissão para investigar o esquema de corrupção que atingiu 22 prefeituras do Estado, além do governo de São Paulo, ainda não saiu.

Segundo o TCE, avaliar a qualidade da refeição das escolas já estava nos planos do órgão desde o começo do ano. Procurada, a Secretaria Estadual da Saúde informou que ainda não foi notificada oficialmente pelo tribunal.

O órgão aceita denúncias de problemas na merenda por WhatsApp através do número (11) 99508-7638

Reportagem: Carolina Ercolin