Trump diz que até um aluno do ensino médio entenderia decreto anti-imigração

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2017 08h00
MR01. WASHINGTON (EE.UU.), 26/01/2017.- El presidente de EE.UU. Donald J. Trump saluda a su llegada hoy, jueves 26 de enero de 2017, luego de descender del Marine One en el patio sur de la Casa Blanca en Washington (EE.UU.). Trump regreso de Filadelfia donde asistió a un retiro con líderes de la Cámara y el Senado de EE.UU. EFE/MICHAEL REYNOLDSefe - Presidente dos EUA Donald J. Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a atacar nesta quarta-feira os juízes que suspenderam por meio de liminares o decreto anti-imigração.

Em discurso na Associação Nacional de Xerifes, o republicano aproveitou a plateia para falar apenas de políticas de segurança pública de seu governo.

Ele insistiu que a restrição à entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana vai diminuir a violência nas cidades americanas e evitar ataques terroristas.

Mas enquanto ainda enfrenta uma batalha judicial, Trump usa suas munições contra os magistrados que se posicionaram contra o decreto.

“O presidente tem autoridade para determinar quem entra nos Estados Unidos”. Após ler esse trecho da lei de imigração americana, o republicano provocou afirmando que até um aluno ruim do ensino médio entenderia o decreto.

Nesta terça-feira, a corte de apelação da Califórnia ouviu os argumentos do departamento de justiça, que defendeu a medida.

O tribunal deve decidir nos próximos dias se considera legal a ordem executiva. Até lá, os refugiados e cidadãos dos sete países listados não podem ser barrados nas fronteiras americanas.

Irritado com a decisão, Trump pediu a ajuda dos policiais: “vocês conhecem os ilegais, conhecem eles na vizinhança. Vocês têm o poder. O presidente pediu para os oficiais entreguem os imigrantes maus à polícia, para que o governo os expulse rapidamente dos Estados Unidos”.

O republicano disse ainda que muitas pessoas achavam que ele estava brincando quando disse que construiria um muro na fronteira com o México. Ele deixou um recado: eu não brinco com essas coisas.

O governo americano revelou outra medida para aumentar o controle da entrada de turistas ao país.

O secretário de segurança doméstica, John Kelly, disse que as embaixadas americanas poderão exigir as senhas de acesso a redes sociais dos solicitantes de visto dos Estados Unidos.

O general disse, no entanto, que esse controle seria exigido apenas para os cidadãos dos sete países listados por Trump: Irã, Síria, Líbia, Iraque, Somália, Sudão e Iêmen.

*Informações do repórter Victor LaRegina