Entre águas e arranha-céus, conheça Chicago, a 3ª maior cidade dos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2017 13h41
ReproduçãoUma das belas vistas de Chicago, ao final da tarde

Olá, está começando mais um programa TURISMO, uma realização da Jovem Pan em parceria com a revista Go’Where! O destino de hoje é um lugar imponente. Com quase três milhões de habitantes, a cidade é a terceira maior dos Estados Unidos, atrás apenas de Nova York e Los Angeles.

O local é uma das principais referência no mundo quando do assunto é telecomunicações. E, além de tudo isso, tem ainda um apelido curioso e chamativo: a cidade dos ventos. Bem-vindo a Chicago!

Ouça o programa completo:

Considerada uma das maiores e mais dinâmicas cidades americanas, Chicago foi o cenário da guerra dos gangsters de Al Capone e os mocinhos de Eliot Ness na época da Lei Seca. Localizada às margens do gigantesco lago Michigan, a cidade possui uma agradável atmosfera urbana entre suas águas e arranha-céus.

Enquanto Miami é latina e Nova York é uma mistura de tudo que existe no mundo, Chicago é bem europeia. A maior parte de seus habitantes é descendente de alemães, poloneses, ucranianos, gregos e suecos – uma formação étnica que se traduz na gastronomia local.

De comidinhas de rua como o gyros (o nosso churrasquinho grego) a alguns dos mais aclamados chefs da América, a cidade oferece uma ampla gama de opções para o turista que gosta de comer bem. Nós vamos falar mais sobre isso daqui a pouco.

Veja fotos da cidade:

Chegar em Chicago é muito fácil! O lugar é a cidade-sede de algumas companhias aéreas, como a United Airlines e a Star Alliance. Além disso, o Aeroporto Internacional de O’Hare recebe alguns voos diretos de São Paulo, com aproximadamente dez horas de duração.

Por terra, são os trens que oferecem os melhores serviços. A Amtrak utiliza a bem localizada Union Station, que parte de cidades como Saint Louis, Memphis ou Nova York.

Durante muito tempo o Aeroporto Internacional de O’Hare foi o mais movimentado dos Estados Unidos. Mas por limitações impostas pelo governo federal o número de voos caiu e hoje ele ocupa a quinta colocação. Ainda assim, é um dos 10 aeroportos mais movimentados do planeta.

Vistas

Já vamos começar esse roteiro lá do alto. Para quem gosta de curtir uma vista de toda a cidade, as duas melhores opções são: os mirantes do John Hancok e Willis Tower.

A vista para o azul do Lago Michigan misturado ao céu impressiona os turistas que chegam ao observatório, localizado no nonagésimo quarto andar de um dos mais famosos prédios da cidade.

O que atrai mesmo os turistas é o lado do observatório onde está o “Tilt”. O brinquedo oferece aos visitantes a experiência de se deslocar, sobre uma parede de vidro, em direção à Chicago.

É uma tentativa de se jogar na paisagem, porém protegido pelo anteparo de vidro. O brinquedo curva-se para fora do prédio e é capaz de causar vertigem nos mais sensíveis à altura, ao mesmo tempo em que oferece um novo ângulo da cidade.

Esse passeio é pra ser feito em algumas horas. O anoitecer aqui do alto é especialmente encantador. É possível ter uma ampla visão do pôr do sol e logo em seguida do acender das luzes nos prédios. Aproveite a lanchonete para passar o tempo enquanto espera as fases do dia. Outra opção mais requintada é subir mais um andar, onde está o restaurante Signature Room, que oferece a mesma vista e ainda um bar com ótimos drinks.

Lembra que eu tinha falado que eram duas opções? Então a segunda parada obrigatória confirma uma das expressões mais usadas para descrever Chicago “de cima a cidade é ainda mais bela”.

O Skydeck, na Willis Tower, é uma experiência que já começa na fila. O visitante percorrerá um caminho vendo painéis e vídeos que contam a história da cidade.

Depois de seguir pelo labirinto interativo, os turistas entram em uma sala de cinema onde é apresentada a história completa do prédio e detalhes sobre a arquitetura de Chicago. Só ao final do vídeo os visitantes seguem para o mirante.

A vista lá do alto é espetacular. São 103 andares divididos em 412 metros de altura, que oferecem outro ângulo da cidade.

Uma vista de tirar o fôlego!

Parques e arte

A amplitude dos parques à beira do Lago Michigan ajuda os visitantes a verem a cidade de ângulos diferentes. Entre os mais conhecidos estão Lurie Garden, Grant Park e Lincoln Park. Em qualquer um deles é sempre impressionante a harmonia do verde com os edifícios da metrópole.

Entre todos os cenários ao ar livre, um se destaca de maneira a hipnotizar os turistas. É no Millennium Park que está a mais famosa fotografia de Chicago.

Esculturas e instalações futuristas fazem desse parque um dos pontos mais procurados pelos viajantes. O lugar oferece muitas áreas verdes e espaços amplos, incluindo até uma pista de patinação no inverno.

E uma dica: se você vem a Chicago para turismo, não pode esquecer de visitar dentro deste parque o famoso “feijão”, escultura brilhante e cheia de reflexos que lembra realmente um grão de feijão gigantesco.

Falando em parque, eu quero dar uma dica de um parque de diversão. O Navy Pier completou 100 anos de existência em 2016. Durante o passeio pelo deck o viajante vai encontrar roda gigante, carrossel, Museu da Criança, além de outras atividades. Sem dúvida, esse lugar tem que fazer parte do seu roteiro!

Chicago é ideal para quem gosta de muita diversão. Ao andar pelos pontos mais famosos, o visitante não tem a sensação de estar preso a um roteiro turístico. Todos os passeios são integrados à vida local e te convidam a viver a cidade por inteiro.

Pelas ruas, inevitavelmente, você irá esbarrar em alguma obra de arte. A Praça Daley, ainda no centro, abriga uma gigantesca escultura de Picasso.

Obras de artistas renomados como Chagall, Miró, Gaudí e Alexander Calder também fazem parte do cenário da cidade. Ao todo, são 6 mil esculturas. A mais representativa delas é a Cloud Gate, que ganhou status de cartão postal.

E você se lembra que nós já falamos dela nesse programa? Inaugurada em 2006, de autoria do indiano Anish Kapoor, a estrutura arredondada de aço está localizada dentro do Millennium Park e ganhou o apelido de “feijão.

No verão, há espetáculos, muitas vezes, gratuitos, no Pritzker Pavilion, uma moderna concha acústica projetada por Frank Gehry que todos deveriam conhecer quando visitarem Chicago.

Compras

E como estamos falando de uma grande metrópole não podemos deixar de destacar o melhor ponto para fazer boas compras. Trata-se de um trecho da Michigan Avenue, conhecido como Magnificent Mile, é tomado por shoppings e marcas de luxo. O contraponto é com a paralela State Street, que reúne lojas mais populares como H&M, GAP e Banana Republic.

Se você for comprar roupas em Chicago nessa época do ano, não se esqueça de pegar casacos. Esse período é marcado pelo início do inverno rigoroso e tempestades de neve.

Claro que isso não é motivo para impedir o visitante de aproveitar a cidade e ter o gostinho do final de ano “clássico”. Pelo contrário, são elementos que acrescentam mais ao charme da cidade nesta época do ano.

Diferente dos meses de Janeiro a Março, onde os moradores torcem para parar de nevar, em Dezembro, todos esperam ansiosos pela neve e pelo tão esperado Natal branco. As temperaturas médias variam de 13ºC positivos para 13ºC negativos.

Gastronomia

O universo culinário de Chicago é repleto de chefs conceituados, restaurantes étnicos únicos e ambientes premiados de gastronomia requintada conhecidos ao redor do mundo.

O cachorro-quente e a deep dish pizza da cidade também têm fama semelhante. Como destino excepcional para gastronomia, o lugar conta com 7.300 restaurantes de diferentes culinárias e diversas faixas de preços.

Vou te contar sobre dois lugares que eu conheci aqui em Chicago, que você precisa experimentar quando viajar pra cá. O primeiro é o Chicago Diner, o lugar ideal para quem não come carne. O restaurante está recebendo prêmios há 25 anos e até carnívoros ficam maravilhados com o sanduíche Reuben, o mais famoso da casa. A outra opção é completamente oposta a esse restaurante. O Tango Sur é uma churrascaria que prioriza as carnes argentinas. Tente conhecer o local em algum dia na semana, pois aos sábados e domingos é praticamente impossível achar uma vaga.

E quem nao se lembra do clássico filme das tardes na TV, que se passava todinho em Chicago?

Pois é “Curtindo a Vida Adoidado”, aquela comedia superfamosa mostra quase todos os pontos turísticos que falamos aqui. Uma boa pedida para ir se preparando para Chicago.

E nossa viagem de hoje fica por aqui. O programa teve produção de Vinícius Custódio, com o apoio de Natalia Cestari e Cleber Franca. A sonorização foi de Durval Júnior.

E não se esqueça, no site da Pan tem fotos de todos os lugares que falamos nesta edição! E se você tem alguma dica, sugestão ou quer saber mais sobre algum destino mande mensagens pelo Facebook da Pan.

Nosso abraço vai para o pro Andre Carvalho, pra Juliana Pacini, pro Guilherme Fao e pro Roberto Guerra que curtiram e compartilharam as nossas matérias nas redes sociais.

Acompanhe sempre estas viagens, nas edições da revista GO’WHERE nas bancas, nos tablets e também nos smartphones. Acesse: gowhere.com.br. Obrigado pela sua audiência!