Uber se transforma em solução para quem perdeu emprego na crise

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2016 16h04
Uber

 Desempregados encontram no Uber uma forma rápida de manter o sustento da família nesses tempos difíceis. A cada dia, mais e mais cidadãos veem na garagem de casa a ferramenta que vai ajudá-los a ganhar dinheiro.

O operador de máquinas, José Airton, aderiu: “Tem muita gente desempregada. Financiei o carro e vou a luta trabalhar. Com a crise que o País está tendo hoje, o Uber foi uma porta de emprego para muita gente. Eu trabalho 12h por dia, no dia do rodízio eu descanso e domingo fico com a família”.

Já o supervisor de segurança Djilson Santos Oliveira conta que encontrou no Uber a forma de sustentar sua família: “Perdi meu emprego há um mês, foi a única solução que encontrei para levar sustento para a minha família. Tenho três amigos que perderam o emprego e optaram por trabalhar no Uber por esse motivo”.

Diego Romero, que é estudante de engenharia civil, virou motorista do aplicativo por opção: “Comecei com o Uber faz uma semana. Comecei para complementar a renda. É uma coisa que consigo me enquadrar com facilidade e comecei a fazer esse trabalho. É um pessoal diferenciado que você atende e tem que oferecer um serviço diferente”. O universitário afirma que existe muita procura pelo serviço e que para entrar na empresa, ele foi indicado por um amigo.

A empresa multinacional não revela, mas o crescimento está na casa dos dois dígitos por semana. É preciso ter no mínimo 21 anos, ter carteira para atividade remunerada, seguro e ficha limpa de antecedentes criminais para ser motorista do Uber. Hoje existem 10 mil parceiros no país, com uma projeção de chegar a outubro com 50 mil motoristas do sistema de compartilhamento.

O porta voz da Uber, Fábio Sabba comenta que motoristas particulares também procuram a empresa: “A gente viu muitos motoristas particulares que estavam interessado em entrar na plataforma, mas tinham carros sem os requerimentos que o Uber X tinha naquele tempo”.

Para ser Uber X e oferecer uma corrida mais econômica em relação ao produto Black, o carro deve ser de 2008 para frente, ter quatro portas, ar condicionado e cinco lugares.

Informações: Renata Perobelli