Unip e Uninove são suspeitas de manipular resultados no Enade

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2016 08h49
usp

Duas das maiores universidades particulares do Brasil são suspeitas de manipular resultados do Enade, exame que avalia a qualidade do ensino superior.

Conjunto de provas publicadas pela revista Veja mostra como a Unip e a Uninove teriam se organizado para melhorar o desempenho no teste.

A Universidade Paulista teria realizado o esquema entre 2010 e 2012, enquanto a Universidade Nove de Julho aplicou a manobra depois, em 2013 e 2014.

O objetivo das duas instituições foi o mesmo: aumentar a nota final no Enade para se aproveitar da propaganda positiva e atrair bolsas do governo federal.

Dessa forma, Unip e Uninove puderam divulgar um índice de qualidade que os cursos delas não tinham.

Havia, basicamente, quatro meios de fraudar o resultado final no Enade, entre eles acelerar a formatura de alunos ruins, para que eles não fizessem a prova. Ou então, esses estudantes mais fracos eram reprovados continuamente para não representar as universidades no Enade.

As duas instituições também adulteravam os questionários socioeconômicos que todos os alunos devem preencher. Nesse relatório, os alunos dão notas para quesitos da faculdade, mas as avaliações ruins era reescritas por professores.

Outro meio de fraude era não oferecer certas disciplinas obrigatórias, para que os estudantes não se tornassem aptos a participar do Enade.

Por fim, a Unip também aplicava um teste surpresa como meio de selecionar os alunos que tinham mais chances de obter uma nota boa, excluindo os demais.

Após a denúncia de Veja, Uninove e Unip negaram as fraudes e o Ministério da Educação apontou que pretende investigar os casos.

Confira: