Universitário acusa seguranças da CPTM de agressão e abuso de autoridade em SP

  • Por Jovem Pan
  • 08/02/2017 06h00
O governador Geraldo Alckmin durante entrega de dois novos trens para a Linha 11-Coral-Expresso Leste (Luz-Guaianazes), da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Data: 04/11/2014. Local: São Paulo/SP. Foto: Edson Lopes Jr/A2 FOTOGRAFIACPTM - Fotos Públicas

Seguranças da CPTM são acusados de agredir universitário na estação Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo. Os atos praticados por três seguranças da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos contra o estudante de Direito Arthur Damacena Silva, de 20 anos, ocorreram no final da tarde desta terça-feira (07).

Arthur esperava pela namorada quando foi abordado pelos agentes ferroviários porque estava sentado no chão da plataforma. O jovem disse que, ao se recusar a se levantar, foi imobilizado e arrastado pelos seguranças até um corredor, longe dos olhares de todos, e, lá, começou a ser agredido.

Somente após as agressões, o estudante foi, enfim, encaminhado para a Delegacia do Metrô, localizada ao lado daquela estação, onde ele e os agentes envolvidos prestaram depoimentos ao delegado plantonista.

A autoridade lavrou o boletim de ocorrência, no qual o jovem aparece como vítima, e encaminhou Arthur ao IML, para exames de corpo de delito.

O delegado também requisitou imagens das câmeras de segurança da estação. No momento das agressões, mesmo imobilizado, o estudante passou a gravar a ação dos agentes com o próprio celular. Nas imagens, um deles aparece sem uniforme.

Trata-se do supervisor de segurança da companhia, que alegou ter agido com energia porque o jovem estaria descontrolado. O pai do universitário esteve na delegacia para acompanhar o filho e disse que vai processar a CPTM.

Em nota, a assessoria de imprensa da Companhia informa que vai apurar os fatos e tomar as medidas cabíveis. Os seguranças irão responder por abuso de autoridade e lesão corporal.

*Informações do repórter Paulo Edson Fiore