Usuários deixam praça e voltam a ocupar “antiga cracolândia”; Prefeitura diz que mantém trabalhos

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2017 08h44 - Atualizado em 29/06/2017 01h01

Adictos voltam a ocupar região da Alameda Cleveland com a Rua HelvétiaAE - Adictos voltam a ocupar região da Alameda Cleveland com a Rua Helvétia

Exatamente um mês após dispersão policial e ocupação da Praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo, usuários de drogas deixaram o local e retornaram para o antigo ponto da Cracolândia. O deslocamento foi espontâneo, desde a noite de quarta (21). Na manhã desta quinta (22), agentes de saúde tentavam conversar com dependentes, enquanto policiais militares e da Guarda Civil observavam à distância. Não houve o registro de confrontos.

A Prefeitura afirma que o novo deslocamento para o local antigo da cracolândia “em nada alterará o trabalho das equipes municipais” de saúde e assistência social.

Moradores de rua da região reclamam da falta de banheiros e de cuidados básicos.

Pessoas que desembarcam da estação Julio Prestes da CPTM se mostram incrédulas com o retorno do “fluxo” ao antigo local, em frente ao antigo prédio da estação de trem, e cobram o poder público.

A Praça Princesa Isabel, tomada desde a ação da Prefeitura e polícia no dia 21 de maio ficou vazia, apenas cheia de lixo. Desde a noite desta quarta (21), os dependentes químicos ocupavam a Alameda Cleveland, próximo à Rua Helvétia. Centenas de pessoas ocuparam a praça em frente à estação Júlio Prestes..

Algumas ruas da região foram fechadas pela polícia à noite. Forças de segurança não souberam dizer o que motivou o deslocamento dos usuários, mas testemunhas relatam que, com as frequentes fiscalizações, tanto comércio quanto o consumo de drogas caíram.

Segundo policiais militares a movimentação foi espontânea. Desde de que o prefeito João Doria anunciou o “fim da Cracolândia” e o início do programa Redenção, no combate ao uso de drogas, o fluxo havia tomado outro rumo, estabelecendo-se nas imediações da Praça Princesa Isabel.

Nesta manhã, enquanto terminava o processo de limpeza na Praça, ela amanheceu lençóis, colchões, caixas de papelão e cobertores espalhados.

É uma situação que aparenta não oferecer respostas ou alternativas fáceis.

Secretaria

Em nota enviada à Jovem Pan, a secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo confirmou que “a movimentação dos usuários se deu de forma espontânea”. Veja:

“Não houve nenhuma ação diferente por parte da Prefeitura, na noite passada (21), em relação aos dependentes químicos que estavam na praça Princesa Isabel, além das contínuas e seguidas abordagens feitas pelas equipes de Saúde e Assistência Social. A movimentação dos usuários se deu de forma espontânea, por decisão deles mesmos. No entanto, essa mudança de local de concentração desses usuários em nada alterará o trabalho das equipes municipais”.