Vacina da dengue chega aos testes finais e 17 mil pessoas serão imunizadas

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2016 10h18
Vacina

 O Instituto Butantan iniciou a terceira e última fase dos testes clínicos da vacina contra a dengue, que prevê o combate aos quatro sorotipos do vírus. Em entrevista à Jovem Pan, o diretor do Instituto, Jorge Kalil, explicou como serão os testes: “Vamos imunizar 17 mil pessoas em 14 centros espalhados pelo país. É um número estatístico que calculamos porque queremos uma variedade de pessoas que moram no Brasil, em diferentes condições e, sobretudo, que os diferentes sorotipos do vírus que existem sejam representados nessa amostra”.

Ao ser questionado se a vacina contra a dengue também iria combater o vírus zika, Kalil afirma que o foco agora é imunização apenas contra a dengue: “Agora na fase 3, o foco é concentrar em uma batalha que existe há 10 anos que é a vacina da dengue. A vacina do zika é recente, e estamos começando. O ideal é que no futuro pudéssemos até combinar, mas agora, imediatamente, esse trabalho está sendo feito só com a dengue”. O médico afirma que a vacina de zika está na fase de testes em cobaias no laboratório.

A presidente Dilma Rousseff irá a São Paulo para assinar o contrato entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan para o desenvolvimento oficial da primeira vacina brasileira contra a dengue. Kalil afirma que o custo previsto agora nesta fase é de R$ 300 milhões: “O governo federal resolveu investir bastante nessa fase 3 , que é a mais cara porque envolve um grande número de pessoas e implica em um grande número de médicos, enfermeiros, de monitores de pesquisa e farmacêuticos que vão estar envolvidos em todos os centros. (…) A presidente não só resolveu investir mas quis dar importância vindo aqui (no Instituto Butantan) assinar e participar do início dessas imunizações”.

Kalil ressalta que o orçamento é relativamente baixo porque as equipes vão utilizar os materiais já instalados em institutos de pesquisa e em universidades. Para comparar, o imunologista afirma que a empresa concorrente no desenvolvimento de uma vacina contra a dengue tem uma proposta de €$ 300 milhões, mais de 4 vezes o valor estipulado pelo Butantan.