Varejo fecha 60 mil postos de trabalho em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2016 12h29

Parte do teto do Shopping Cidade São Paulo desabafou na noite desta segunda-feira

Shopping Cidade São Paulo

 O varejo paulista fechou 60 mil postos de trabalho em 2015, o pior resultado da série histórica iniciada em 2007. Mais de 12 mil vagas foram eliminadas em dezembro, indicando que os temporários não foram efetivados. A pesquisa da Fecomércio São Paulo aponta os setores de concessionárias de veículos, vestuário, tecido e calçados como os mais atingidos.

O assessor econômico da entidade, Jaime Vasconcelos, ressalta a queda nas vendas como fator principal para o desemprego no setor: “Como em 2015 nós tivemos uma redução, até o mês de outubro, em torno de 6% na receita das vendas, já desconsiderada a inflação no comércio varejista, tivemos também uma redução de vagas de 2,8% do estoque de trabalhadores”. Os únicos setores que não registraram redução de empregos foram os de farmácias, perfumarias e supermercados.

Em entrevista a Marcelo Mattos, o consultor de varejo José Milton Dallari avalia que os atuais indicadores econômicos não permitem uma reversão: “O aumento da inflação, a manutenção da taxa de juros no tamanho que está e o crédito extremamente seletivo, começa a dificuldade de escoar principalmente bens de produtos duráveis. Esse efeito acaba batendo no varejo como um todo”.

A Fecomércio destaca que 30% das vagas fechadas eram preenchidas por diretores, gerentes, supervisores de empresas e áreas internas. A redução do quadro funcional atingiu todos os níveis das empresas, inclusive os funcionários com atuação institucional de liderança e maior rendimento.