Vereador convoca levante de taxistas contra motoristas do Uber durante festa

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2016 06h48
SP - PROTESTO-TAXISTAS-UBER-FOTÓGRAFO-AGREDIDO-CONFUSÃO - GERAL - Taxistas causam tumulto em frente ao hotel Unique em São Paulo (SP), nesta quinta-feira (28), ao tentarem barrar alguns motoristas do aplicativo Uber. Houve confronto com policiais e um fotógrafo foi agredido pelos taxistas. O Vereador Adilson Amadeu que defende a categoria estava no local para fazer cumprir um oficio protocolado no DTP que exigia a apreensão dos veículos. 28/01/2016 - Foto: CHELLO FOTÓGRAFO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBriga entre Taxistas e Motoristas do Uber

 Taxistas atacaram motoristas do Uber em frente a hotel de luxo nos Jardins, na Zona Sul de São Paulo. O embate entre taxistas e motoristas do aplicativo ocorreu entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta-feira (29/01). O hotel Unique, localizado no número 4.700 da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, promoveu o tradicional Baile de Carnaval da Revista Vogue.

Por causa das fantasias, muitos dos convidados utilizaram os serviços do Uber para chegar ao local. Já prevendo a presença dos profissionais do aplicativo, o vereador Adílson Amadeu, do PTB, convocou os taxistas, que defende, para a manifestação. Centenas de motoristas foram para o local e começaram a hostilizar motoristas e passageiros do Uber e a protestar contra o prefeito Fernando Haddad. Os taxistas tentaram fechar o trânsito, mas a Polícia Militar impediu. A confusão aumentou, com gritaria e explosões de fogos.

Os carros pretos do Uber foram cercados, condutores eram ameaçados e os passageiros impedidos de desembarcar. Alguns motoristas conseguiram escapar do cerco com a ajuda da Polícia Militar, mas outros foram perseguidos pelos taxistas. Profissionais de imprensa que tentavam registrar as ações do grupo foram hostilizados e ameaçados, sendo que muitos tiveram de deixar o local.

O fotógrafo Fernando Mateus, da agência Raw-Image, conta que torceu o pé quando tentava fugir dos taxistas que o ameaçavam: “Comecei a fazer as imagens, vi os taxistas gritando e estavam quebrando um carro do Uber. Eu fiz as imagens, eles viram que eu estava fotografando e tentaram correr atrás de mim para quebrar o equipamento e pegar o cartão para não ter imagens deles. Eu corri , senti uma dor do joelho e caí. Quebrou a tela do meu notebook e ainda não sei se foi o ligamento ou torção”.

Adílson Amadeu criticou o diretor do DTP, Departamento de Trasportes Públicos da Prefeitura, Daniel Telles, pela falta de providências contra os motoristas do Uber. O vereador chegou a fazer ameaças contra o prefeito Fernando Haddad que sinalizou a regulamentação dos serviços prestados pelo aplicativo: “Eu estou dando um recado direto e reto para o senhor prefeito e o secretário de transportes, os senhores estão vendidos, os senhores querem confusão em São Paulo e vão ter”.

Nem mesmo a CET escapou e um dos agentes ameaçou multar os taxistas que tentavam fechar o trânsito e também foi agredido. Os ânimos só se acalmaram por volta das duas horas da madrugada, quando os convidados do evento começaram a deixar o hotel e a utilizar os táxis para voltar para casa.