Dr. Zeballos explica transmissão de varíola dos macacos e diz que doença não é preocupante

Em entrevista ao Pânico, imunologista alertou para proteção de profissionais da saúde e medidas de prevenção

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2022 15h10
Reprodução/Jovem Pan News Zeballos fala no estúdio do programa Pânico Roberto Zeballos foi o convidado do programa Pânico desta quarta-feira, 25

Nesta quarta-feira, 25, o programa Pânico recebeu o médico imunologista Roberto Zeballos. Em entrevista, ele esclareceu sobre a varíola dos macacos, doença que teve alta de casos nos últimos meses. “É um vírus que a transmissão dele é difícil de ocorrer, precisa ter contato íntimo, tem que ser gotas grandes, um contato bem íntimo para transmitir. Não houve nenhuma fatalidade. O caso do Texas circulou em dúzias de pessoas e nenhuma delas se contaminou. Colocar máscara, por melhor que seja a intenção, é uma total falta de conhecimento de como se transmite essa doença”, afirmou. Ainda não há casos confirmados de varíola dos macacos no Brasil, porém a infecção está presente com mais de 131 casos em 19 países, como Alemanha, Itália e Estados Unidos.

Porém, para Zeballos, para os profissionais da saúde, é necessário cuidado para o tratamento das feridas de pele comumente causadas pela doença. “Talvez o profissional de saúde entre em contato com as feridas da pele e tenha que usar luva e máscara, mas no dia a dia não transmite por aerosol. Fatalidade ocorria na época do HIV, que as pessoas estavam imunossuprimidas. É mais comum em pacientes imunossuprimidos. Tem tratamento e a transmissão é leve”, disse. “É perigoso em criança. Se você tem menos de 50 anos, vamos estimular a vacinação MMR. Se por acaso acontecer, fica mais leve. Estão esquecendo da dengue? Isso eu estou vendo.”

Confira na íntegra a entrevista com Roberto Zeballos: