China propõe censura prévia no jornalismo digital

  • Por Agencia EFE
  • 12/06/2015 06h45

Pequim, 12 jun (EFE).- As autoridades de imprensa e publicações da China, responsáveis pela censura no regime comunista, anunciaram um projeto de lei proibindo sites e portais de produzirem notícias próprias, além de impor uma censura prévia para esses conteúdos.

Segundo o projeto, divulgado em comunicado pela Administração Estatal de Imprensa, Publicações, Rádio, Cinema e Televisão, os serviços de notícias na internet deverão contratar “supervisores profissionais” encarregados de revisar o conteúdo das notícias antes que sejam publicadas.

Além disso, só poderão emitir informação audiovisual procedente de rádios e televisões já estabelecidas com caráter, no mínimo, municipal, segundo a circular.

As violações dessas novas regras representariam multas de até 30 mil iuanes (US$ 5.480), segundo a administração estatal. O projeto de lei também determina o arquivamento de todos os programas durante pelo menos dois meses após sua difusão.

A iniciativa legal foi divulgada para recolher reações da opinião pública até o final de junho, e mudaria regras que estão em vigor desde 2014.

Segundo os especialistas favoráveis a essa medida polêmica, seu objetivo é melhorar a qualidade da informação on-line. EFE