Em clima de Copa, Fórmula 1 retorna à Áustria para prova na casa da Red Bull

  • Por Agencia EFE
  • 19/06/2014 11h07

Redação Central, 19 jun (EFE).- Se na Copa do Mundo o Brasil voltou a ser sede depois de longo período, na Fórmula 1 a Áustria é que volta a ser palco de disputa, só que apenas depois de 11 anos de ausência da disputa, em fim de semana onde a Red Bull pretende “bater um bolão”, vencer “em casa” e novamente desbancar a Mercedes.

O circuito localizado na cidade de Spielberg, chamado entre 2000 e 2003 – último ano de corrida no local pela categoria – de A-1 Ring, foi rebatizado de Red Bull Ring, assim como aconteceu com alguns estádios da Copa do Mundo, no caso a agora chamadas Arena Fonte Nova, em Salvador, e o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

E é na pista de sua propriedade que a escuderia austríaca tentará a segunda vitória seguida. No Grande Prêmio do Canadá, o australiano Daniel Ricciardo deixou o líder do Campeonato Mundial, o alemão Nico Rosberg para trás, e venceu a primeira na temporada. Outro alemão, Sebastian Vettel, levou a outra Red Bull ao terceiro lugar.

A prova na América do Norte foi a primeira em que a Mercedes não saiu como vencedora. Até então foram duas vitórias de Rosberg e quatro, consecutivas, do britânico Lewis Hamilton – que não completou o GP canadense. A supremacia faz com que a dupla da equipe alemã siga sossegada na frente da classificação.

Rosberg está com 140 pontos, contra 118 de Hamilton. Logo atrás aparece Ricciardo, bem distante, com 79. O espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, está com 69, e Vettel com 60. Com isso, os dois primeiros lugares dos pilotos da Mercedes não estão ameaçados na prova deste domingo.

A equipe líder do Mundial de Construtores – com 258 pontos, contra 139 da Red Bull -, precisa superar na Áustria os problemas de potência no motor, que custaram a vitória para Rosberg. Como um jogador recém-recuperado de lesão, a Mercedes precisará mostrar que está 100% para o novo desafio.

No retorno da Fórmula 1 a Spielberg, quatro pilotos já conhecem o “gramado”, um deles Felipe Massa, que disputou o GP austríaco em 2002. Além dele, apenas o finlandês Kimi Raikkonen, o britânico Jenson Button (ambos em 2001, 2002 e 2003), e Fernando Alonso (em 2001 e 2003), participaram de prova no circuito, sem conseguir vencer.

O brasileiro da Williams, aliás, vem de forte “bola dividida” com o mexicano Sergio Pérez. Os dois disputavam a quarta colocação, quando bateram na volta final. Por causa disso, o piloto da Sauber pegou “gancho” e perderá cinco posições no grid de largada.

O GP da Áustria de Fórmula 1, que teve como último vencedor o alemão Michael Schumacher, então na Ferrari, viveu momento marcante um ano antes, quando o brasileiro Rubens Barrichello, depois de liderar toda a prova, teve que abrir passagem para o futuro heptacampeão.

No fim da disputa, o primeiro piloto ferrarista – que neste fim de semana acordou do coma seis meses após sofrer grave acidente de esqui – chamou o companheiro para que, juntos, levantasse o troféu de vencedor da corrida.

A programação do Grande Prêmio da Áustria será iniciada nesta sexta-feira, às 5h (horário de Brasília), com o primeiro treino livre. No sábado, à partir das 9h, acontecerá a definição do grid de largada. No domingo, também às 9h, acontecerá a prova, que consiste em 71 voltas. EFE