Em duelo de Mercedes, Hamilton quer vencer “em casa” para encostar em Rosberg

  • Por Agencia EFE
  • 03/07/2014 17h15

Redação Central, 3 jul (EFE).- Campeão mundial da Fórmula 1 em 2008 e atual vice-líder do campeonato, a 29 pontos do companheiro Nico Rosberg, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, disse nesta quinta-feira, em Silverstone, na Inglaterra, que fará tudo o que for possível para vencer o Grande Prêmio da Grã-Bretanha neste domingo.

Hamilton e Rosberg serão novamente favoritos na nona corrida de um Mundial no qual a Mercedes, que ganhou sete das oito corridas disputadas, lidera ambos os campeonatos. O de construtores, com mais tranquilidade, e o de pilotos, com uma acirrada disputa interna.

“Sei como está apertado desde o início do ano, pois Nico ganhou a primeira corrida. Em todas as corridas é importante sair na frente. Eu tive vantagem em algumas delas e Nico nas últimas”, comentou Hamilton, de 29 anos, na entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira.

O circuito deste domingo é familiar para Hamilton. Além de a disputa ser realizada em seu país de origem, o inglês foi o vencedor da prova em 2008, o que pode motivá-lo na briga pelo campeonato. Apesar de que, mesmo se chegar em primeiro e Rosberg não completar a prova, as posições serão mantidas devido à grande diferença de pontos entre ambos, não bastando os 25 pontos da vitória.

“Mas agora é o Grande Prêmio da Grã-Bretanha. Vou fazer tudo o que for possível e tentar representar bem meu país. Quando se trata de um Grande Prêmio, ganhar é uma das melhores experiências que se pode ter, tanto como desportista como piloto. E é isso o que pretendo conseguir neste fim de semana”, explicou o piloto, que já venceu 26 vezes na competição.

Os treinos livres desta sexta-feira contarão com uma novidade, a escocesa Susie Wolff, piloto de testes da Williams, que se tornará a sexta mulher a participar de alguma atividade oficial de um Grande Prêmio e a primeira nos últimos 22 anos. Perguntado sobre Wolff, Hamilton comentou que já a conhecia dos tempos de kart e que o reencontro será nostálgico.

“Não competi contra muitas meninas. Susie foi uma das poucas, se não a única, com quem disputei. A conheci na época do kart, mas sempre estava uma categoria acima da minha. Depois, competimos na Fórmula Renault. Ela era muito boa, compartilhamos o pódio algumas vezes. Estou contente por ela, vai ser muito bom e emocionante vê-la em um carro de Fórmula 1 amanhã (sexta)”, declarou o piloto. EFE