Deputado petista entra com representação na PGR contra Bolsonaro, que diz: ‘carapuça serviu’

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2018 10h54
Kevin David/Estadão Conteúdo"Ou vão para fora ou vão para a cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria”, disse em vídeo

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou, em mensagem gravada e veiculada em manifestação no domingo (21), na Avenida Paulista, que os “marginais de vermelho” serão banidos. O fato gerou reações de nomes do PT durante os últimos dias.

“Não tem preço as imagens que vejo agora da Paulista e de todo o meu querido Brasil. Perderam ontem, perderam em 2016 e vão perder a semana que vem de novo. Só que a faxina agora será muito mais ampla. Essa turma, se quiser ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão para fora ou vão para a cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria”, disse em vídeo.

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) apresentou nesta segunda-feira (22) uma representação na Procuradoria-Geral da República contra Bolsonaro. Ele quer a investigação da fala do candidato com base na Lei de Segurança Nacional. “Entramos com representação na PGR pedindo a prisão de por crime de Segurança Nacional ao ameaçar prender e exilar adversários políticos. Aqui, ninguém aceita ameaça calado”, escreveu Solla no Twitter.

Nesta terça-feira (23), o presidenciável voltou a se manifestar sobre o assunto pelo Twitter: “Falamos em combater os bandidos vermelhos baseado no próprio curso das investigações da Polícia Federal e Lava-Jato e houve uma grande histeria por parte do PT. Ao que parece a carapuça serviu mais uma vez!”.