De odiada à primeira finalista: a trajetória de Dayane Mello no Big Brother Itália

A modelo brasileira conquistou a primeira vaga na final do reality italiano depois de uma semana de votação; ela recebeu 45,5% dos votos

  • Por Leonan Oliveira
  • 26/01/2021 12h35
Reprodução/InstagramA modelo Dayane Mello, de Santa Catarina, é a primeira finalista do 'Grande Fratello Vip'

Que brasileiro gosta de estar envolvido em reality shows todo mundo sabe – prova disso é o paredão histórico da última edição do Big Brother Brasil, que resultou na eliminação de Felipe Prior depois de mais de 1,5 bilhão de votos. A novidade é que o público brasileiro resolveu ‘invadir’ a versão italiana do reality e acaba de ajudar a eleger a modelo Dayane Mello, brasileira, primeira finalista do programa. A participante levou a melhor numa votação que durou uma semana e recebeu 45,5% dos votos válidos depois de uma forte campanha dos brasileiros nas redes sociais.

Apesar de já ser conhecida internacionalmente por seus trabalhos como modelo para marcas mundiais como L’Oréal e Breil, a passagem de Dayane pelo ‘Grande Fratello Vip’ foi bastante conturbada e, dentre diversos tipos de ataques, a brasileira foi alvo de xenofobia e machismo por parte do público e demais participantes do reality. No episódio mais famoso, que viralizou no Brasil, Francesco Oppini – um dos participantes favoritos – depois de ser votado por Dayane, disse que a brasileira seria violentada fora do reality, baseado no comportamento da sister, bêbada, depois de uma das festas do programa. “Em Verona, Dayane seria estuprada […] “Uma festa com ela e meus amigos seria um desastre”, disse. Depois de ‘declarar briga’ com o popular Oppini, Dayane, que ainda tem dificuldade em falar e entender italiano, despertou a ira dos demais participantes e acabou sendo indicada onze vezes ao televoto (versão italiana do ‘paredão’), mas acabou salva de todos eles. Sobre a situação, durante o programa ao vivo, a brasileira não hesitou ao dizer que desaprova o comportamento do brother. “Me sinto muito humilhada por esses homens, principalmente pelo Francesco pelo modo como ele usa as palavras”, disse.

Depois de perceber que os ataques referente ao comportamento e modo de vestir de Dayane pararam de incomodar tanto, os participantes passaram a destacar o fato da modelo ser brasileira e, por isso, segundo eles, não deveria fazer parte do reality italiano. Palavras como ‘tribo’, ‘favela’ e ‘floresta’ passaram a ser usadas para fazer referência ao Brasil e à torcida da brasileira, que aproveitou a provocação para emplacar a expressão ‘Tribo da Dayane’ entre os assuntos mais comentados das redes sociais. “Estou cansada, sabe?”, desabafou Dayane em outro momento ao reclamar da falta de união das mulheres dentro do programa. “É raro as mulheres se amarem. Sempre há inveja, competição”, disse.

O objetivo de Dayane, segundo ela mesma, é ganhar o prêmio para dar um futuro melhor para a filha, com quem a participante tem se preocupado desde o início do programa – principalmente em relação aos comentários que poderiam ser feitos à criança na escola. Depois de ter um documentário sobre sua vida exibido aos participantes, Dayane precisou encarar mais comentários preconceituosos e desabafou: “Não é porque eu tenho a mente aberta e seja diferente que vocês têm que me dizer essas coisas. Sou mãe. E se amanhã as mães falarem sobre isso na escola da Sofia? Eu tenho uma filha que me assiste em casa”.

Entre trancos e barrancos, Dayane Mello segue no jogo e – depois de enfrentar outras três participantes – foi escolhida como a primeira finalista do reality. O programa, diferente da versão brasileira, não tem um cronograma rígido e já foi estendido algumas vezes: o reality começou no dia 14 de novembro e tem final prevista (por enquanto) para o dia 01º de março. Na conta oficial da brasileira no Instagram, a equipe por trás da comunicação da modelo durante o reality agradeceu o apoio dos brasileiros e comemorou: “Vocês se tornaram família e agora ela está na final graças a vocês”.