Fãs cobram Anitta por seguir perfil dedicado a Bolsonaro; cantora pede ‘mais respeito’

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2018 14h42
Estadão ConteúdoArtista foi questionada especialmente por seu público LGBT

Uma grande confusão envolvendo o nome de Anitta tomou conta das redes nesta quarta-feira (19). Isso porque alguns fãs da artista notaram que ela começou a seguir um perfil do Instagram que é dedicado ao candidato à presidência Jair Bolsonaro. Assim que a informação se espalhou, imediatamente começaram a pedir um posicionamento.

“Anitta acaba de seguir um perfil totalmente dedicado a Bolsonaro. No stories essa pessoa agride outras mulheres e feminismo. Em respeito aos LGBTs que também são a maior parte do seu público queremos explicação. Anitta, você apoia o homem que quer matar seu público?”, questionou a fanpage “Projeto Anitta”.

“Estamos extremamente decepcionados e precisamos de uma posição (…). Por todas as mulheres que ganham menos, por todos os lgbts que não se assumem pros pais por medo de apanhar e serem expulsos de casa. Por todos que já foram mortos. De que lado você está, Anitta?”, completou.

Pouco tempo depois das publicações, a cantora foi aos stories de seu Instagram se explicar. De acordo com suas palavras, ela começou a seguir o perfil em questão por ele ser de uma amiga, afirmou que já sabe em quem votará nas eleições deste ano (mas não revelou quem) e pediu ao público mais respeito.

“Eu comecei a ser xingada e ameaçada porque segui uma amiga que expôs publicamente sua intenção de voto. Também estão fazendo o mesmo com minha amiga. Eu a conheço há mais de 7 anos e não gostaria de parar de falar com ela por causa da sua posição política. Venho aqui mais uma vez pedir mais amor. Eu sou uma cidadã igual a vocês e trabalho para caramba, pago meus impostos, e tenho, sim, meu candidato. Como cidadã, pesquisei e escolhi meu candidato. Assim como vocês, eu também tenho direito ao voto secreto e não quero dar minha posição. Não é porque sou artista que sou obrigada a dizer”, disse.

“Sou a favor do respeito. Respeito as diferenças e estou me sentindo muito desrespeitada nesse momento. A coisa que mais falo é sobre respeito. Sou feminista, respeito s sexualidades, tudo! Isso sou eu. Todo mundo me conhece. E eu também gostaria de ser respeitada (…) Vou sim continuar tendo amigos de esquerda, e direita, seja qual for, porque respeito a opinião deles. Eu gostaria que todo mundo votasse no que acredita ser o melhor dentro da sua crença. Votem de acordo com isso. Não sou eu que vou dar esse caminho. Não sou capaz disso. O que sei fazer, faço. Vamos repensar. Não adianta pedir respeito se não é isso que a gente tá dando”, finalizou.