Gretchen ameaça procurar delegacia do idoso após sofrer ‘violência psicológica’; entenda

Cantora rebateu comentários que considerou xenofóbicos após expor desavença com vizinhos

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2022 15h05 - Atualizado em 13/07/2022 15h06
Reprodução/Instagram/mariagretchen Gretchen Gretchen rebateu comentários maldosos e ameaçou procurar a delegacia do idoso

A cantora Gretchen rebateu os comentários que leu nas redes sociais após expor uma desavença que está tendo com os vizinhos da casa em que mora em Belém, no Pará. A artista disse que é desrespeitada e que chegam a gritar com ela por não pedir para não estacionarem carros em frente a sua casa. Gretchen mora ao lado de uma oficina mecânica e seriam os funcionários desse estabelecimento que estão causando todo o transtorno. Após expor o caso, alguns seguidores criticaram a cantora dizendo que era para ela voltar para sua cidade de origem, o Rio de Janeiro. Na tarde desta quarta-feira, 13, ela postou prints dos comentários maldosos e comentou: “Isso se chama xenofobia, sabe por quê? Porque eu vou continuar no Pará, vou continuar no [bairro] Jurunas, e as pessoas que não gostam de mim, sinto muito. Os incomodados que se mudem”, disse a artista em tom de deboche. A eterna Rainha do Rebolado também enfatizou que não pretende mudar de casa. 

“Moro no centro da cidade, eu consigo ir para todos os lugares que preciso super rápido, eu me locomovo para o meu cabeleireiro, para o meu supermercado, para minha depilação super rápido, é [tudo] pertinho. Amo morar naquela casa, foi construída do jeito que eu gosto e é lá que vou continuar.” Gretchen também rebateu uma pessoa que ironizou o título que ela recebeu no Pará. “Sou cidadã paraense, sim, aprovada pela Câmara, não importa se demorou dois, três dias, um mês ou um ano, eu fui aprovada como cidadã paraense. É um título que você não vai poder me tirar e que tenho muito orgulho”, comentou.  “Vivo e moro aonde eu quero porque pago meus impostos como todos.” Por fim, a cantora ameaçou denunciar na polícia os ataques que está sofrendo. “Tenho 63 anos, sou considerada uma idosa. Eu entro dentro dos direitos do Estatuto do Idoso, então se continuarem a me incomodar e fazendo coisas fora da lei, eu vou ter que ir na delegacia do idoso e denunciar o incômodo e a violência psicológica que estou sofrendo”, concluiu. 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.