Polícia considera MC Poze do Rodo foragido por associação com o tráfico

Com mais de 3 milhões de seguidores nas redes sociais, funkeiro também é investigado por ter relações com o Comando Vermelho

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2020 09h02
Reprodução/InstagramFãs do artista associaram caso do DJ Rennan da Penha, preso no ano passado acusado de ser 'olheiro' de traficantes

A Polícia Civil do Rio de Janeiro considera Marlon Brendon Coelho Couto da Silva, o MC Poze do Rodo, foragido da Justiça. Com mais de 3 milhões de seguidores no Instaram, o funkeiro é investigado por envolvimento no tráfico de drogas e associação com a facção Comando Vermelho. Em buscas realizadas na segunda-feira (6), agentes da 34ª Delegacia de Bangu não encontraram o MC e passaram a considerá-lo foragido.

Na noite de terça-feira (7), o funkeiro publicou em suas redes sociais que estava sendo perseguido: “Errei, paguei por isso, dei a volta por cima e hoje estou no topo, TOPO uma das coisas que um FAVELADO NUNCA PODE CHEGAR PORQUE SE CHEGAR É BANDIDO é ISSO É AQUILO!!(sic)”, escreveu.

Segundo a polícia, em depoimento anterior, MC Poze do Rodo admitiu que esteve no tráfico de drogas entre entre 2015 e 2016, mas que não tem mais envolvimento em atividades ilegais. A polícia ainda alega que, atualmente, o funkeiro é frequentemente visto portando armas e ao lado de traficantes do Comando Vermelho.

O mandado de prisão expedido pela 35ª Vara Criminal do Rio acusa Marlon Brendon de tráfico de drogas, associação ao tráfico, apologia ao crime e corrupção de menores.

Nas redes sociais, os fãs de MC Poze do Rodo associaram o caso ao DJ Rennan da Penha, preso em março do ano passado acusado de associação ao tráfico por promover o Baile da Gaiola e, com isso, ser “olheiro” do crime enquanto realizava a festa. Em novembro, Rennan da Penha foi solto após um habeas corpus.