Irmão mais velho de Kim Jong-un é flagrado em show de Eric Clapton em Londres

  • Por Efe
  • 22/05/2015 11h26
irmão do presidente da corea do norte

Kim Jong-chol, o irmão mais velho do líder norte-coreano Kim Jong-un, foi flagrado por câmeras de televisão na última quarta-feira (20) em Londres, quando assistia a um show de Eric Clapton, informaram nesta sexta-feira (22) a imprensa japonesa e sul-coreana.

 Kim, de 34 anos, aparece em imagens gravadas no Albert Hall, uma conhecida casa de espetáculos de Londres, e divulgadas pela emissora japonesa “TBS”, que garantiu ter confirmado que se trata do irmão do ditador norte-coreano.

No vídeo, Kim Jong-chol pode ser visto com uma jaqueta de couro e óculos escuros, acompanhado de uma mulher e vários seguranças, que tentaram impedir que fossem tomadas imagens de sua chegada à casa de shows. Posteriormente, Kim Jong-chol aparece aplaudindo entusiasmado durante a apresentação do músico britânico, no que seria sua primeira aparição em público desde que Kim Jong-un assumiu o poder do hermético regime norte-coreano em dezembro de 2011.

O norte-coreano se hospedou em um luxuoso hotel londrino e deve retornar ao país através de Moscou e Pequim, disseram fontes do estabelecimento britânico à agência sul-coreana “Yonhap”.

Em 2006 e 2011, Jong-chol também foi visto em outras apresentações de Eric Clapton em Alemanha e Cingapura. Em 2008, convidou o cantor e guitarrista britânico para se apresentar em Pyongyang, mas o projeto não foi em frente, de acordo com a imprensa sul-coreana.

Kim Jong-chol é o primeiro filho de Kim Jong-il, o pai do atual líder norte-coreano, com sua terceira esposa, Ko Young-hee. O irmão do ditador é conhecido por sua admiração por elementos da cultura ocidental, já que é um grande fã do basquete da NBA e de música pop. De acordo com analistas sul-coreanos, Kim Jong-chol foi descartado por Kim Jong-il para sua sucessão porque o mesmo o considerava muito “afeminado”.

Já o primogênito do ex-ditador, Kim Jong-nam, de 44 anos, caiu em desgraça em 2001 depois que tentou entrar no Japão com um passaporte falso, supostamente com a intenção de visitar a Disneylândia de Tóquio